Dieta mediterrânea reduz risco de cancro do endométrio

Estudo publicado no “British Journal of Cancer”

01 junho 2015
  |  Partilhar:

A adoção da dieta mediterrânea pode reduzir em mais de metade o risco de as mulheres desenvolverem cancro do endométrio, revela um estudo publicado no “British Journal of Cancer”.
 

O estudo levado a cabo pelos investigadores do Instituto IRCCS-Istituto di Ricerche Farmacologiche, em Itália, sugere que a combinação de alimentos ricos em antioxidantes, fibras, fitoquímicos e ácidos gordos insaturados podem ter efeitos benéficos contra a maioria dos cancros que afetam os órgãos reprodutores femininos.
 

Para o estudo, os investigadores, liderados por Cristina Bosetti, analisaram as dietas de mais de 5.000 mulheres italianas de forma a perceber o seu grau de adesão à dieta mediterrânea e se tinham desenvolvido cancro do endométrio.  
 

Os investigadores dividiram a dieta em nove componentes diferentes e mediram a adesão das mulheres a estes. Os componentes avaliados incluíram: elevado consumo de vegetais, fruta e frutos secos de casca rija, legumes, cereais, batatas, peixe, elevada ingestão de gorduras monoinsaturadas comparativamente com as saturadas, baixo consumo de carne e produtos lácteos, e ainda consumo moderado de álcool.
 

O estudo apurou que as mulheres que aderiram mais à dieta mediterrânea, consumindo entre seis a nove dos grupos de alimentos benéficos, diminuíram o risco de desenvolvimento do cancro do endométrio em cerca de 57%. O consumo regular de seis componentes reduziu o risco em 46% e o consumo de cinco componentes diminui o risco de desenvolvimento deste tipo de cancro em 34%. Contudo, verificou-se que as mulheres que consumiram menos de cinco componentes não apresentaram uma diminuição significativa relativamente ao risco de desenvolvimento do cancro do endométrio.
 

“O nosso estudo mostra o impacto que uma dieta saudável e equilibrada pode ter no risco das mulheres desenvolverem cancro do endométrio. Isto dá mais peso à nossa compreensão de como as nossas opções diárias, nomeadamente o que ingerimos e quão ativos somos, afetam o nosso risco de cancro”, revelou, em comunicado de imprensa, Cristina Bosetti.
 

De acordo com Julie Sharp, do Instituto para a Investigação do Cancro, no Reino Unido, embora já saibamos que o envelhecimento e o excesso de peso aumentam o risco de cancro do endométrio, a ideia de que a dieta mediterrânea pode ajudar a reduzir este risco requer mais investigação.
 

“O risco de cancro é afetado pela nossa idade e genes, mas um estilo saudável pode também desempenhar um papel importante na redução do risco de alguns cancros. Não fumar, manter um peso saudável, praticar exercício físico, comer de forma saudável e diminuir o consumo de álcool ajuda a reduzir os riscos”, conclui a investigadora.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar

Risco de cancer

Excelente artigo há muitas comprovações sobre os benefícios da dieta mediterrânea. Sempre gosto de acompanhar os artigos do www.tudonutrição.com sempre tem bons artigos.

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.