Dieta mediterrânea pode abrandar envelhecimento

Estudo publicado no “British Medical Journal”

05 dezembro 2014
  |  Partilhar:

A dieta mediterrânea pode abrandar o processo de envelhecimento, sugere um estudo publicado no “British Medical Journal”.
 

Os telómeros são sequências de ADN situadas na extremidade dos cromossomas que ajudam a proteger a integridade física do cromossoma. Nos indivíduos saudáveis, os telómeros diminuem progressivamente ao longo da vida. O seu comprimento é reduzido para metade desde a infância até à idade adulta e novamente até à terceira idade. Telómeros mais curtos são assim associados a uma menor esperança de vida e ao risco de doenças associadas ao envelhecimento.
 

Fatores como obesidade, tabagismo, ou consumo de bebidas açucaradas, têm sido associados a indivíduos com telómeros mais curtos. Alguns estudos também têm sugerido que o stress oxidativo e a inflamação aceleram o encurtamento dos telómeros.
 

Assim, tendo em conta que o consumo de frutas, legumes e frutos de casca rija, elementos chave na dieta mediterrânea, têm efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, os investigadores do Hospital Brigham and Women's e da Escola de Medicina de Harvard, nos EUA, decidiram averiguar se a adesão à dieta mediterrânea estava associada a um maior comprimento dos telómeros.
 

O estudo incluiu a participação de 4.676 mulheres saudáveis que preencheram um questionário alimentar detalhado. As dietas dos participantes foram pontuadas, entre zero a nove, tendo em conta o quanto estas se aproximavam da dieta mediterrânea. As mulheres foram submetidas a testes sanguíneos para medição do comprimento dos telómeros.
 

Após terem tido em conta alguns fatores que poderiam influenciar os resultados, os investigadores constataram que uma maior adesão à dieta estava associada a um maior comprimento dos telómeros. A alteração de um ponto na escala de adesão à dieta mediterrânea correspondeu, em média, a 1,5 anos de envelhecimento dos telómeros.
 

Contudo, nenhum dos componentes individuais da dieta foi associado ao comprimento dos telómeros. Na opinião dos investigadores, estes resultados enfatizam a importância de analisar a dieta como um todo e não os seus componentes individuais.
 

Os autores do estudo concluem que estes resultados apoiam os benefícios da adesão à dieta mediterrânea para a promoção da vida e longevidade.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.