Dieta ioiô associada a risco mais elevado de morte

Estudo publicado na “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”

12 dezembro 2018
  |  Partilhar:
Um estudo recente associou a chamada dieta ioiô, que consiste na constante perda e recuperação de peso (normalmente através da alimentação), a um risco acrescido de morte.
 
Calcula-se que 80% das pessoas que perdem peso voltam gradualmente a recuperar o que perderam e nalguns casos acabam até por voltar a ter o peso inicial ou mais peso do que o que tinham antes de entrarem em dieta. 
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina e do Hospital Bundang da Universidade Nacional de Seoul, Coreia do Sul, o estudo contou com a participação de 3.678 homens e mulheres que tinham entrado no Estudo Coreano do Genoma e Epidemiologia.
 
Os participantes foram seguidos por um período de 16 anos, durante o qual os resultados em termos de saúde foram avaliados a cada dois anos. 
 
Os investigadores concluíram que as constantes perdas e recuperação de peso foram associados a um risco mais elevado de morte.
 
Contudo, segundo Hak C. Jang, investigador que liderou o estudo, “também concluímos que a perda de peso, como resultado de uma dieta ioiô, pode acabar por reduzir o risco de desenvolvimento de diabetes nas pessoas com obesidade”.
 
Neste caso, os efeitos da perda de peso para a saúde ultrapassaram os efeitos adversos das dietas ioiô em pessoas obesas que pretendiam diminuir o seu risco de diabetes.
 
A Declaração Científica da Sociedade Endócrina norte-americana sobre as causas da obesidade indicou que quando uma pessoa emagrece, o organismo normalmente reduz a quantidade de energia despendida em repouso, durante a prática de exercício físico e outras atividades da rotina diária e faz aumentar a sensação de fome. 
 
Esta combinação de dispêndio de pouca energia e de fome criam as condições ideais para a pessoa recuperar o peso perdido. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar