Dieta e exercícios reduzem risco de doenças crónicas...

... em apenas 6 semanas

07 março 2005
  |  Partilhar:

 

 

As mudanças básicas na dieta e os exercícios podem diminuir consideravelmente o risco de contrair doenças crónicas como a diabetes, cancro e doenças cardíacas em apenas seis semanas, segundo um estudo recente.
 

 

Segundo o estudo de Steven Aldana, um professor da Universidade Brigham Young, em Utah, publicado na revista Journal of the American Dietetic Association, as mudanças na alimentação e a prática de exercícios trouxeram para um grupo de pacientes grandes reduções dos níveis de gordura, colesterol e tensão arterial.
 

 

«Isto não é uma dieta, não é uma tendência, não é uma moda que vai passar», reforçou Aldana, acrescentando tratar-se «da adopção de formas nutritivas de comer e de exercícios que causam mudanças positivas muito importantes na saúde de seu corpo em um curto período.»
 

 

De acordo com o artigo de Aldana, os participantes da experiência fizeram uma dieta de alimentos não-refinados, como os cereais integrais, legumes, frutas e hortaliças frescas, e adoptaram um programa de exercícios cardiovasculares de 30 minutos por dia. «Apesar de a noção de que a nutrição e os exercícios apropriados são bons para a saúde não ser necessariamente revolucionária, é importante que as pessoas saibam que os benefícios são obtidos rapidamente», acrescentou Aldana.
 

 

Mas, segundo o especialista, esta não é uma solução mágica para os problemas de saúde no mundo. «Mas é certo que com mudanças semelhantes, qualquer pessoa pode desfrutar de benefícios similares», explicou o cientista.
 

 

O estudo dirigido por Aldana contou com a participação do professor de ciências da saúde em Brigham, Ray Merril, estudantes universitários e profissionais de saúde que esmiuçaram a participação de 337 voluntários, com idades de 43 a 81 anos, moradores da área metropolitana de Rockford, Illinois.
 

 

Os participantes frequentaram um curso de formação de 40 horas, ao longo de quatro semanas. O projecto, chamado Melhoramento da Saúde Cardíaca, incluiu uma série de dissertações sobre a importância das mudanças de estilo de vida e nas melhorias na actividade física e da nutrição.
 

 

No entanto, Aldana disse não ser necessário aplicar estritamente o programa usado pelos investigadores. «O que importa realmente são as mudanças no estilo de vida. Trata-se de viver de uma forma saudável, tomar uma decisão, obter informação e as ferramentas adequadas e colocar as mudanças em prática», acrescentou.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.