Dieta da mãe afeta genes dos filhos

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

05 maio 2014
  |  Partilhar:

A dieta da mãe antes da conceção pode afetar permanentemente a função dos genes da criança. O estudo publicado na revista “Nature Communications” demonstrou pela primeira vez que a dieta adotada pela mãe antes da gravidez pode na verdade afetar permanente muitos aspetos da saúde da criança, ao longo da vida.
 

Neste estudo os investigadores do Grupo de Nutrição Internacional MRC, no Reino Unido, e da Unidade MRC, na Gâmbia, contaram com a participação de 2.000 mulheres de uma zona rural da Gâmbia onde a população depende do cultivo dos alimentos. Este local tem também um clima sazonal, o qual conduz a padrões alimentares distintos entre as estações de chuva e seca.
 

Do total das participantes, os investigadores selecionaram 84 mulheres grávidas que tinham concebido no pico da estação chuvosa e 84 no pico da seca. Posteriormente foram medidos a concentração de nutrientes no sangue das participantes, bem como no sangue e nos folículos dos cabelos dos bebés, que tinham na altura entre dois e oito meses de idade. Foi verificado que a dieta adotada pela mãe antes da conceção tinha efeitos significativos nas propriedades do ADN dos filhos.
 

Os investigadores explicam que apesar de os genes serem herdados dos pais, a forma como estes são expressos é controlada por modificações epigenéticas no ADN. Uma destas modificações envolve a marcação de regiões genéticas com compostos químicos (grupos metilo) que silenciam os genes. A adição destes compostos químicos depende de nutrientes como o folato, vitaminas B2 e B12, colina e metionina.
 

O estudo apurou que os bebés concebidos durante a estação das chuvas apresentaram, consistentemente, taxas mais elevadas de grupos metilo nos seis genes estudados, tendo estes sido associados a diferentes níveis de nutrientes no sangue da mãe.
 

“O nosso estudo sugere que a maquinaria da metilação pode ser afetada por uma deficiência em nutrientes e conduzir consequentemente ao desenvolvimento de doenças. O nosso objetivo final é definir uma dieta ótima para as mulheres que estão a pensar engravidar, a qual seja capaz de impedir a ocorrência de anomalias no processo de metilação“, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Andrew Prentice.
 

“A toma de ácido fólico já é aconselhada ao longo do período da preconceção de modo a impedir o desenvolvimento de anomalias congénitas. Estes novos achados sugerem a necessidade do consumo de um cocktail de nutrientes, os quais poderiam ser administrados através da dieta ou da toma de suplementos”, conclui o investigador.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar