Dicas para promover a saúde e segurança de crianças em idade escolar

Brochura lançada pela DGC e APED

30 agosto 2012
  |  Partilhar:

A Direção-Geral do Consumidor (DGC), em parceria com a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), lançou uma brochura, à qual a agência Lusa teve acesso, com o objetivo de promover a saúde e segurança dos mais novos, indicando algumas sugestões para os pais e para as crianças e jovens em idade escolar.


Na parte dedicada à compra do vestuário, a componente segurança deve ser a prioridade, com particular atenção para a roupa com cordões.


Segundo a DGC, registam-se anualmente, em todo o mundo, acidentes graves com cordões fixos e deslizantes no vestuário, sendo que, em crianças até aos 8 anos, existe o risco de ficarem presos em equipamentos de jogo e recreio, provocando asfixia.


Nas crianças até aos 14 anos, existe o perigo de os cordões ficarem presos em veículos em movimento (portas de automóveis, autocarros ou elevadores), podendo causar ferimentos graves ou morte por arrastamento ou atropelamento.


A brochura, que está publicada no Portal da Saúde, recomenda aos encarregados de educação que façam um levantamento do material necessário e do orçamento disponível, verificando o que ainda está em bom estado do ano anterior.


Na escolha da mochila, a prioridade deve ser o peso, já que não devem pesar mais do que meio quilo quando vazia, nem mais do que 10% do peso da criança, quando cheia.


Quanto aos modelos, são recomendados os anatómicos, com alças largas e acolchoadas, reguladas de forma que a mochila fique acima das ancas da criança e bem colocada nos ombros para proteger as costas.


No momento de comprar o material escolar, a prioridade deve ir para a qualidade e durabilidade, devendo ser escolhidos os lápis, borrachas e canetas sem aromas nem solventes, os dossiers mais resistentes, réguas sem arestas cortantes e materiais – como agendas, cadernos ou pastas – reciclados.


A DGC chama ainda a atenção para a necessidade de um uso correto dos sistemas de retenção (cadeirinhas ou bancos elevatórios) nos automóveis, e nos transportes escolares.


Quanto à alimentação, a preferência deve ir para as refeições nos bufetes ou refeitórios das escolas, e não para as máquinas de venda automática, e todas as crianças devem ir para as aulas com o pequeno-almoço tomado.


O acesso à Internet deve ser vigiado, e a criança deve ser alertada para os riscos existentes e para a importância de nunca falar nem confiar num estranho.


ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.