Diagnóstico de cancro da mama durante a gravidez é tardio

Estudo publicado na revista “Cancer”

13 fevereiro 2009
  |  Partilhar:

Quando o cancro da mama se desenvolve durante a gravidez, o diagnóstico e tratamento são frequentemente adiados, comprometendo a sobrevivência a longo prazo, refere um estudo da University of Texas publicado na revista “Cancer”.
 

 

“A gravidez pode mascarar os sintomas decorrentes do cancro da mama - o tipo de tumor mais associado à gravidez ”, explicou George Perkins, um dos líderes da investigação, à Reuters Health.
 

 

No estudo, realizado entre 1973 e 2006 , foram diagnosticadas 51 mulheres com cancro da mama durante a gravidez e 53 apresentaram os sintomas um ano após a gestação.
 

 

Os especialistas verificaram que estas mulheres tinham tumores numa fase mais avançada do que as restantes mulheres avaliadas, pertencentes ao grupo das que não tinham engravidado.
 

 

De acordo com os especialistas, nas mulheres grávidas, o diagnóstico é tardio.
 

 

Entre o grupo de mulheres que desenvolveu a doença durante a gravidez, metade não recebeu tratamento antes do parto. Foi também este grupo de mulheres que apresentou a pior taxa de sobrevivência em dez anos.
 

 

Os especialistas defendem, por isso, uma maior atenção ao diagnóstico do cancro na gravidez, através de exames de ultra-sonografia ou, com a devida protecção do feto, da mamografia.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.