Diabetes tipo 2 pode ser revertido pela perda de gordura do pâncreas

Estudo publicado na revista “Diabetes Care”

04 dezembro 2015
  |  Partilhar:

Investigadores do Reino Unido demonstraram que a diabetes tipo 2 é causada pela acumulação de gordura no pâncreas e que a perda de menos de um grama dessa gordura através da diminuição do peso pode reverter a doença, dá conta um estudo publicado na revista “Diabetes Care”.
 

Para o estudo os investigadores da Universidade de Newcastle, Reino Unido, contaram com a participação de 18 indivíduos com diabetes tipo 2 e nove sem diabetes. Antes dos participantes serem submetidos a uma cirurgia bariátrica foi avaliado o peso, nível de gordura no pâncreas e resposta à insulina. Os pacientes com diabetes tipo 2 tinham sido diagnosticados há uma média de 6,9 anos e todos há menos de 15 anos. Todos os indivíduos com diabetes tipo 2 tinham níveis elevados de gordura no pâncreas.
 

Os participantes do estudo foram selecionados para serem submetidos a uma cirurgia de “bypass” gástrico para a obesidade. O peso foi avaliado antes deste procedimento e oito semanas mais tarde. Após a cirurgia, todos os indivíduos com diabetes tipo 2 deixaram de tomar imediatamente a medicação.
 

O estudo, liderado por Roy Taylor, apurou que os dois grupos perderam um peso semelhante, cerca de 13% do peso inicial. Contudo, a quantidade de gordura no pâncreas não se alterou nos indivíduos não diabéticos, mas diminuiu para valores normais para os pacientes com esta condição.
 

Estes resultados demonstram que o excesso de gordura no pâncreas diabético é específico da diabetes tipo 2 e impede que a insulina se produza de uma forma normal. Quando o excesso de gordura é retirado, a secreção de insulina aumenta para níveis normais, ou seja, os pacientes ficam sem diabetes.
 

“Para os pacientes com diabetes tipo 2, perder peso permite que drenem o excesso de gordura do pâncreas e que a função volte à normalidade. Assim, a resposta à pergunta de quanto peso é preciso perder para deixar de ter diabetes, é um grama. Mas este grama necessita de ser de gordura do pâncreas. Atualmente a única forma de conseguir isto é com a restrição calórica, quer através da dieta ou cirurgia”, referiu, em comunicado de imprensa, o investigador.
 

Tradicionalmente, a diabetes tipo 2 tem sido encarada como uma doença progressiva, controlada, inicialmente, através da dieta e posteriormente com medicação, mas pode, eventualmente, necessitar de injeções de insulina.
 

Esta condição afeta 9% da população mundial e pode afetar qualquer faixa etária. A diabetes provoca um excesso de glucose no sangue resultante do facto de o pâncreas não produzir insulina suficiente, juntamente com a resistência à insulina.
 

“Este novo estudo demonstra que a alteração do nível de gordura no pâncreas está relacionada com a presença da diabetes tipo 2. A diminuição da gordura no pâncreas não está simplesmente associada à perda de peso em si. Não é algo que possa acontecer a qualquer pessoa independentemente do facto de ter ou não diabetes. É específico da diabetes”, refere o investigador.
 

“O que é interessante é que, independentemente do peso corporal atual e forma como este é perdido, o fator crítico na reversão da diabetes tipo 2 é a perda de um grama de gordura do pâncreas”, conclui Roy Taylor.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.