Diabetes tipo 2: estatinas aumentam risco em quase 50%

Estudo publicado na revista “Diabetologia”

09 março 2015
  |  Partilhar:
A toma de estatinas poderá aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes de tipo 2, indica um novo estudo.
 
O estudo conduzido pela Universidade do Leste da Finlândia, Finlândia, revelou que os fármacos para descer os níveis de colesterol fazem aumentar em quase 50% o risco de diabetes de tipo 2, mesmo tendo em consideração outros fatores.
 
O excesso de peso e a condução de uma vida sedentária são dois fatores de risco muito importante para o desenvolvimento da diabetes tipo 2. A doença é desencadeada quando o organismo se torna resistente à insulina, produzindo menos quantidade desta hormona. 
 
Para o estudo, a equipa de investigadores contou com a participação de 9000 homens, com idades compreendidas entre os 45 e os 73 anos e que não sofriam de diabetes de tipo 2. No início do estudo 25% dos participantes tomava estatinas.
 
Os investigadores acompanharam os participantes por um período de 6 anos, monitorizando a saúde e os efeitos da toma de estatinas. 
 
Durante o período de acompanhamento, 625 homens foram diagnosticados com diabetes tipo 2. Mesmo após terem sido considerados outros fatores de risco, a equipa apurou que os participantes que tomavam estatinas apresentavam uma probabilidade 46% maior de desenvolverem diabetes tipo 2 do que os que não estavam a ser tratados com aqueles fármacos.
 
Os investigadores apuraram ainda que as estatinas provocavam uma redução de 24% na sensibilidade à insulina e de 12% na secreção de insulina. O aumento da toma de sinvastatina e atorvastatina correspondia a um decréscimo na capacidade do organismo produzir e utilizar insulina.
 
A toma de doses elevadas de sinvastatina foi associada a um aumento de risco de 44% de desenvolvimento de diabetes, sendo que a toma de uma dose baixa do fármaco aumentava o risco em 28%. A toma de uma dosagem elevada de atorvastatina foi associada a um aumento de 37% de desenvolver a doença. 
 
Os investigadores concluem assim que as estatinas parecem fazer aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes de tipo 2, através do aumento da resistência do organismo à insulina e da redução da capacidade do pâncreas de segregar insulina. 
 
A equipa adverte no entanto que os participantes do estudo eram todos homens brancos, sendo que se desconhece o impacto das estatinas sobre o risco da diabetes de tipo 2 em mulheres e noutros grupos raciais.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 1 Comentar

Diabetes Controlada

Realmente o excesso de peso e o sedentarismo agravam a doença, por outro lado a atividade física faz toda a diferença, depois que passei a praticar exercício físico e cuidar melhor da minha alimentação mantenho sempre minha diabetes controlada.

http://diabetescontrolada.blogs.sapo.pt/

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.