Diabetes tipo 1: identificado tratamento promissor

Estudo publicado na revista “Scientific Reports”

03 agosto 2015
  |  Partilhar:

A utilização de uma citoquina anti-inflamatória mostrou-se eficaz no tratamento da diabetes tipo 1, dá conta um estudo publicado na revista “Scientific Reports”.
 

A diabetes tipo 1 é uma doença crónica, na qual os pacientes necessitam de injeções diárias de insulina ao longo da vida. A insulina é uma hormona produzida pelas células beta do pâncreas e é necessária para evitar um aumento prejudicial do nível de glucose no sangue.
 

A causa exata da diabetes tipo 1 ainda é desconhecida, contudo, esta é considerada uma doença autoimune, uma condição que ocorre quando o sistema imunológico por engano ataca e destrói as células saudáveis do organismo. Na diabetes tipo 1, uma infeção ou outros fatores desconhecidos desencadeiam um ataque imune, que conduz a uma produção insuficiente de insulina.
 

Neste estudo, os investigadores da Universidade de Uppsala, na Suécia, decidiram estudar a ação das chamadas células T reguladoras em modelos de ratinhos para a diabetes tipo 1. O estudo apurou que na diabetes tipo 1 este tipo de linfócitos alteram a sua função produzindo proteínas pró-inflamatórias em vez de anti-inflamatórias, como é o caso da interleuquina 35 (IL-35).
 

Os investigadores também constaram que, comparativamente com os indivíduos saudáveis, a concentração da IL-35 era mais baixa nos pacientes com diabetes tipo 1. Estes achados sugerem que esta interleuquina pode desempenhar um papel importante na doença. Constatou-se ainda que as células T reguladoras alteravam o seu destino na presença da diabetes tipo 1.
 

Os investigadores testaram se a IL-35 poderia impedir o desenvolvimento da condição e reverter a diabetes tipo 1. De forma a induzir a doença nos ratinhos foi injetado um composto químico denominado streptozotocina. Os animais desenvolveram sinais de diabetes tipo 1 e constatou-se um aumento dos níveis de glucose no sangue semelhante ao observado nos humanos com a doença. Surpreendentemente, as injeções de IL-35 aos ratinhos diabéticos normalizaram as concentrações de glucose, impedindo o desenvolvimento da diabetes tipo 1.
 

O estudo também investigou o papel da IL-35 num outro modelo de ratinhos, denominado ratinhos diabéticos não obesos. Observou-se que a interrupção do tratamento não resultou no reaparecimento da diabetes em nenhum dos modelos dos animais.
 

Estes achados encorajam investigações futuras a utilizar a IL-35 no tratamento da diabetes tipo 1 e oferece novas pistas sobre o motivo pelo qual as células T reguladoras não são capazes de combater a diabetes tipo 1.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.