Diabetes tipo 1 e as infeções respiratórias

Estudo publicado no “JAMA Pediatrics”

04 julho 2013
  |  Partilhar:

As infeções respiratórias durante a infância podem ser um fator de risco para o desenvolvimento da diabetes tipo 1, sugere um estudo publicado no “JAMA Pediatrics”.
 

A incidência da diabetes tipo1 tem aumentado em todo o mundo. Apesar da etiologia desta doença ainda não ser bem conhecida, as infeções têm sido apontadas com fator ambiental importante.
 

Neste estudo, os investigadores do Institute of Diabetes Research, na Alemanha, propuseram- se a determinar se a exposição precoce de curta duração ou a exposição acumulada a episódios de infeção e febre durante os três primeiros anos de vida estavam associados com o início do desenvolvimento de anticorpos contra as células do pâncreas, em crianças com risco aumentado de diabetes tipo 1.
 

“Verificámos que as infeções na infância, especialmente no primeiro ano de vida, são um fator de risco para o desenvolvimento da diabetes tipo1. Foram também encontradas algumas evidências dos efeitos de curto prazo dos eventos infeciosos no desenvolvimento da autoimunidade, enquanto a exposição cumulativa por si só não parece ser a causa”, revelaram, em comunicado de imprensa, os autores do estudo.
 

Para o estudo os investigadores contaram com a participação de 148 crianças que apresentavam um elevado risco de diabetes tipo 1, as quais tinham sido alvo de 1.245 infeções documentadas durante os três primeiros anos de vida.
 

O estudo apurou que as infeções respiratórias ocorridas no primeiro de vida estavam associadas com um aumento da taxa de risco da seroconversão dos autoanticorpos produzidos contra as células do pâncreas.
 

Durante o segundo ano de vida, não foram detetadas associações significativas. Um maior número de infeções respiratórias nos seis meses anteriores à seroconversão dos autoanticorpos também foi associado a um aumento da taxa de risco.
 

“As estratégias de prevenção contra a diabetes tipo 1 deverão focar-se na vacinação contra agentes infeciosos específicos. Infelizmente, não foi possível identificar um único agente infecioso que poderá ser útil no desenvolvimento da diabetes tipo 1. Os nossos resultados sugerem um possível envolvimento das infeções do trato respiratório superior, especificamente da rinofaringite aguda”, concluem os investigadores.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.