Diabetes gestacional aumenta risco de depressão pós-parto

Estudo publicado na revista “Depression and Anxiety”

25 janeiro 2017
  |  Partilhar:

Uma equipa internacional de investigadores descobriu que a diabetes gestacional aumenta o risco de depressão pós-parto nas mulheres que são mães pela primeira vez, revela um estudo publicado na revista “Depression and Anxiety”.
 

O estudo levado a cabo pelos investigadores da Escola de Medicina Icahn, nos EUA, e do Instituto Karolinska, na Suécia, apurou ainda que as mulheres com antecedentes de depressão são 20 vezes mais propensas a ter depressão pós-parto que as mães sem diagnóstico prévio de depressão. Adicionalmente verificou-se que, enquanto a diabetes isoladamente aumenta o risco de depressão pós-parto, os antecedentes de depressão materna conjuntamente com a diabetes gestacional aumentam ainda mais o risco de desenvolvimento de depressão pós-parto.
 

Michael Silverman, um dos autores do estudo, referiu que a maioria dos profissionais encara estas duas condições de uma forma isolada. Contudo, este estudo sugere que a diabetes gestacional e a depressão pós-parto devem ser consideradas em conjunto.
 

O estudo, que contou com a participação de mais de 700 mil mulheres, apurou que apesar de a diabetes aumentar o risco de depressão pós-parto em todas as mulheres, para aqueles com antecedentes de depressão, ter diabetes durante a gravidez aumenta o risco de depressão pós-parto em 70%.
 

Para além da diabetes gestacional, os investigadores estudaram mais de uma dúzia de outros fatores de risco, incluindo a diabetes pré-gestacional, associados à depressão pós-parto em mulheres com e sem antecedentes de depressão. Nas mulheres com antecedentes de depressão, a diabetes pré-gestacional e o parto prematuro conduziram a um aumento do risco. Uma mãejovem, o parto assistido por instrumento ou por cesariana, bem como o parto prematuro aumentaram o risco em mulheres sem antecedentes de depressão.
 

Os investigadores defendem que, o facto de ter sido demonstrado que os antecedentes de depressão modificam alguns dos riscos associados aos fatores obstétricos e perinatais sugere que pode haver vias causais diferentes de depressão pós-parto em mulheres com e sem antecedentes de depressão.
 

A depressão pós-parto pode afetar negativamente o desenvolvimento da mãe e do bebé. Desta forma, a identificação de episódios depressivos anteriores como um fator de risco da depressão pós-parto permite que os médicos atuem precocemente. “Com esta informação, podemos agora intervir cedo, antes de a mãe dar à luz", concluiu o investigador.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar