Dez mil portugueses serão avaliados para fibrilhação auricular

Estudo epidemiológico do Instituto Português de Ritmo Cardíaco

22 junho 2009
  |  Partilhar:

Dez mil portugueses vão ser avaliados num estudo epidemiológico, através de um electrocardiograma feito em casa, para a prevalência em Portugal da fibrilhação auricular, um dos mais importantes factores de risco para o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

 

Promovido pelo Instituto Português do Ritmo Cardíaco (IPRC) e pela Associação Portuguesa de Arritmologia, Pacing e Electrofisiologia (APAPE), o estudo, que arrancou na semana passada, vai avaliar pessoas em 70 cidades de norte a sul do país, nos Açores e Madeira.

 

A investigação consiste na deslocação de técnicos de Saúde a várias casas onde os moradores, com idade igual ou superior a 40 anos, farão um electrocardiograma e responderão a um inquérito destinado a recolher dados demográficos, socioeconómicos, clínicos e terapêuticos. O estudo abrangerá ainda consultas de cardiologia dos hospitais e centros de saúde, através de inquéritos a médicos.

 

Este trabalho de campo irá decorrer até Setembro e os resultados deverão ser apresentados em Novembro.

 

Dados do IPRC revelados pela agência Lusa indicam que esta doença afecta cerca de cinco indivíduos em cada mil, de ambos os sexos, incidência que aumenta com a idade.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.