Detergente em cápsulas perigoso para crianças pequenas

Estudo publicado na revista “Pediatrics”

17 novembro 2014
  |  Partilhar:

O detergente para a roupa em cápsulas pode ser perigoso para as crianças pequenas, indica um estudo norte-americano.
 

Conduzido pela pelo Nationwide Children’s Hospital e pela Universidade Estadual de Ohio , EUA, o estudo revelou que o detergente para a roupa em cápsulas pode causar envenenamento por ingestão ou exposição aos químicos.
 

Segundo Marcel J. Casavant, diretor de toxicologia no Nationwide Children's Hospital, os detergentes em cápsula podem atrair a curiosidade das crianças pequenas nas suas explorações pela casa: ”as cápsulas de detergente para a roupa são pequenas, coloridas e uma criança pequena poderá confundi-las com doces ou sumo” e “em apenas alguns segundos as crianças podem pegar nelas, abri-las e engolir os químicos tóxicos que contêm ou os químicos podem entrar em contacto com os olhos”, afirma o especialista.
 

Para o estudo, a equipa liderada por Gary Smith, autor principal do estudo e diretor do Centro de Investigação e de Políticas de Lesões naquele hospital, baseou-se em dados de 2012 e 1013 para analisar os resultados da exposição, em crianças de 6 anos ou menos, às cápsulas de detergente da roupa.
 

A equipa apurou que durante o período em análise, que tinha sido de um ano, os centros de controlo de venenos dos EUA tinham recebido 17.230 chamadas relativas a crianças que tinham estado em contacto com cápsulas de detergente da roupa, o que equivalia a uma criança por hora. Daqueles casos, 769 resultaram em hospitalizações e um em morte.
 

A ingestão do produto constituiu a principal fonte de contacto com os químicos, com 79,7% dos casos, tendo esta exposição sido mais comum em crianças de 1 e 2 anos de idade. Relativamente aos efeitos provocados pela exposição ao detergente, 48% das crianças vomitaram, 13% tiveram tosse ou engasgamento, 11% tiveram dores ou irritação ocular, 7% sentiram tonturas ou letargia e outros 7% tiveram conjuntivite ou vermelhidão ocular.
 

Em 904 dos casos registados, as circunstâncias foram gravadas. Em 382 dos casos, a embalagem de cápsulas estava ao alcance da criança; em 97 casos a embalagem estava aberta enquanto a pessoa responsável pela criança na altura estava distraída; em 82 casos a embalagem encontrava-se guardada de forma inadequada e em 54 dos casos estava guardada num armário baixo ou destrancado.
 

Para evitar o contacto das crianças pequenas com as cápsulas de detergente da roupa deve-se adotar as seguintes medidas: usar detergente tradicional em vez de cápsulas pois aquele é muito menos tóxico, guardar as cápsulas de detergente imediatamente após utilizá-las e guardar as cápsulas de detergente longe do alcance das crianças pequenas, preferencialmente num armário fechado à chave.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.