Desvendado papel de proteína nas lesões pulmonares

Estudo do hospital brasileiro de A. C. Camargo

02 setembro 2007
  |  Partilhar:

 

Um exame para detectar a proteína a PTX3 (presente em altos níveis nos processos inflamatórios agudos) poderá ajudar a nortear o trabalho dos médicos para saberem se a melhor atitude é ventilar um paciente com problemas pulmonares.
 

 

Um estudo liderado por Juliana Monte Real, do Hospital A. C. Camargo, em São Paulo, e recentemente publicada no jornal “Folha de São Paulo”, refere que a Ventilação Mecânica pode ser mais perigosa do que se pensava.
 

 

A investigadora refere que um paciente já afectado por inflamação aguda no pulmão, causada por Cancro, Pneumonia ou Dengue, por exemplo, é mais susceptível a lesões provocadas pelo procedimento. O motivo é a acção de uma proteína, a PTX3 (pentraxina 3), presente em altos níveis nos processos inflamatórios agudos, (esta proteína é produzida pelas células do tecido pulmonar como uma reacção à doença).
 

 

Segundo a investigadora, esta situação também aparece quando as mesmas células são expostas ao stress provocado pela técnica de respiração artificial. “O simples facto de esticar as células já despoleta a sua produção”, explica a cientista.
 

Embora indispensável, o procedimento pode piorar a lesão que já existia no pulmão.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.