Despesa com medicamentos aumentou

Infarmed investiga situação «anómala»

08 junho 2004
  |  Partilhar:

Sem explicações para o crescimento abrupto dos gastos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) com medicamentos verificado em Março e Abril deste ano (21 e 13,4 por cento, respectivamente), o Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (Infarmed) pediu informações, por carta, aos laboratórios farmacêuticos para tentar perceber este aumento «anómalo», adiantou esta semana um responsável daquela instituição. Em Maio, porém, verificou-se já um abrandamento no crescimento da despesa com fármacos (cerca de oito por cento) e a quota de genéricos atingiu um valor recorde (7,37 por cento), realçou. Apesar do crescimento sustentado da venda destes medicamentos cuja patente caiu no do domínio público (em 2001, era apenas de 0,34 por cento), Portugal continua a léguas de outros países europeus: no Reino Unido, por exemplo, os genéricos representam 40 por cento do mercado em volume de vendas. Quem adiantou de imediato explicações para o crescimento inesperado verificado nos primeiros meses deste ano - que veio contrariar a inversão da tendência para a diminuição verificada em 2003, ano em que os gastos com fármacos aumentaram apenas quatro por cento - foi o ministro da Saúde, que atribuiu o fenómeno ao incremento das consultas nos centros de saúde e hospitais e às novas substâncias e comparticipações. Fonte: Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.