Desigualdades no acesso a tratamentos oncológicos na Europa

Relatório de especialistas evidencia falhas

20 janeiro 2009
  |  Partilhar:

Os doentes europeus ainda enfrentam desigualdades no acesso aos tratamentos oncológicos, dependendo do local onde vivem. Esta é a conclusão de um relatório elaborado por Nils Wilking, oncologista clínico no Karolinska Institutet, em Estocolmo, e por Bengt Jonsson, professor de Economia da Saúde na Stockholm School of Economics.
 

 

O relatório foi baseado nos dados dos 27 estados-membros da União Europeia e é a actualização dos dois relatórios anteriores elaborados pelos mesmos autores em 2005 e 2007.
 

 

Segundo os dados apurados pelos autores do estudo, a demora na introdução de novos medicamentos no mercado conduz a disparidades ao nível da taxa de sobrevivência dos doentes. Os autores alertam para a necessidade de adoptar medidas urgentes e propõem novas políticas para melhorar o acesso dos doentes aos tratamentos existentes, nomeadamente:
 

 

- Adaptar os orçamentos para a saúde, de uma forma geral, e os orçamentos hospitalares, em particular, para incorporar a introdução de novos tratamentos para o cancro;
 

- Introduzir financiamentos específicos para os medicamentos para o cancro;
 

- Acelerar, ao nível económico e da regulação, o tempo de avaliação dos medicamentos inovadores.
 

 

O relatório revela ainda que a incidência de cancro está a aumentar na Europa, mas que a mortalidade em consequência desta doença está a diminuir.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.