Desigualdades entre homens e mulheres vão ser analisadas

Investigação portuguesa quer deslindar as diferenças

01 abril 2003
  |  Partilhar:

Promover a investigação dos factores que contribuem para as desigualdades entre homens e mulheres é um dos objectivos do protocolo assinado entre a Fundação para a Ciência e Tecnologia e a Comissão para a Igualdade e Direitos das Mulheres.
 

 

Trata-se de uma iniciativa conjunta dos ministérios da Presidência e da Ciência e do Ensino Superior, entidade que tutela a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).
 

 

O documento, a que a Agência Lusa teve acesso, estabelece a abertura, até Junho deste ano, de um concurso público para a apresentação de projectos de investigação sobre questões no domínio das relações sociais de género e das políticas para a igualdade entre mulheres e homens.
 

 

O valor do financiamento a atribuir ao conjunto dos projectos seleccionados é de 300 mil euros para dois anos, sendo que um terço desse valor deverá financiar Bolsas de
 

 

Investigação no âmbito dos projectos aprovados.
 

Os projectos, cuja duração deverá ser preferencialmente de um ano, deverão focar-se «sobre questões no domínio das relações sociais de género e das políticas para a igualdade entre mulheres e homens», segundo o documento hoje assinado.
 

 

A avaliação das propostas, assim como os financiamentos a atribuir, será efectuada por um júri independente designado pela FCT e Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres.
 

 

Os projectos científicos a apoiar no âmbito desta acção deverão incidir especialmente em áreas relativamente às quais a Comissão «identificou uma necessidade de conhecimento ou aprofundamento em Portugal, relevantes para a elaboração ou a aplicação eficiente de políticas para a
 

Igualdade entre homens e mulheres», define o documento.
 

 

São exemplos disso o estudo do papel da família e da escola na formação de valores, a análise dos percursos escolares dos jovens em função do sexo e da classe social ou a identificação e análise dos obstáculos e condicionamentos que se colocam a mulheres e homens na escolha da profissão.
 

 

O diagnóstico dos entraves à igualdade entre géneros deverá suscitar uma reflexão e formulação de propostas que visem a sua resolução, refere o texto.
 

 

O Estado, através do artigo 9/o da Constituição da República portuguesa, elege entre as suas tarefas fundamentais a promoção da igualdade entre homens e mulheres, cabendo à Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres a definição de estratégias e a execução de programas nesse sentido.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.