Desenvolvido penso com ibuprofeno

Estudo da Universidade de Warwick

11 dezembro 2015
  |  Partilhar:
Investigadores do Reino Unido desenvolveram um penso transparente que é capaz de administrar o ibuprofeno diretamente através da pele, exatamente onde é necessário, a uma taxa de dose consistente.
 
Os investigadores da Universidade de Warwick conjuntamente com a empresa Coventry-based Medherant encontraram uma forma de incorporar quantidades significativas do fármaco no interior da matriz de um polímero, administrando o ibuprofeno a uma taxa constante ao longo de no máximo 12 horas. 
 
Este estudo abre novas possibilidades para desenvolver uma vasta gama de novos analgésicos de longa duração que podem ser utilizados para tratar condições dolorosas comuns, como as dores de costas crónicas, a neuralgia e artrite, sem a necessidade de tomar doses potencialmente prejudiciais do fármaco por via oral. Apesar de haver um número considerável de geles de ibuprofeno disponíveis, não é fácil controlar a dosagem.
 
Os investigadores referem que uma das principais características desta nova tecnologia é o facto de o penso aderir bem à pele, mesmo quando a quantidade de fármaco atinge níveis tão elevados como 30% do peso/volume do penso. Através desta nova tecnologia é possível ter uma dose de fármaco cinco a dez vezes maior do que os pensos e os geles utilizados atualmente.
 
Por outro lado, o penso como é transparente é esteticamente agradável, mas tem um maior poder de adesão do que outros produtos que se encontram atualmente no mercado. 
 
“Muitas dos pensos que estão atualmente no mercado não contêm, surpreendentemente, qualquer analgésico, simplesmente acalmam o corpo através do calor. Através da nossa tecnologia podemos, pela primeira vez, produzir pensos que contêm doses eficazes de substâncias ativas, como o ibuprofeno. Adicionalmente, podemos melhorar a quantidade de fármaco e a adesão dos pensos que contêm outros ingredientes ativos para melhorar o conforto do paciente bem como os resultados”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, David Haddleton.
 
O investigador referiu ainda que esta tecnologia pode ser expandida para vários fármacos que possam ser administrados através de pensos transdérmicos, sendo possível aumentar a quantidade de fármaco impregnada, mantendo simultaneamente a adesão e a flexibilidade. 
 
“Os nossos pensos fornecem uma melhor alternativa aos pacientes, aumentando a segurança e a eficácia de administração do fármaco, o que conduzirá a benefícios económicos para o sistema de saúde”, conclui David Haddleton.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.