Descodificado o ADN de bactéria mortal

Francisella tularensis pode ser usada como arma biológica

17 janeiro 2005
  |  Partilhar:

 

 

Foi decifrada a sequência completa do ADN Francisella tularensis, uma bactéria que pode ser utilizada como arma biológica mortal.
 

Trata-se de um dos germes mais infecciosos que se conhecem e a descodificação do seu mapa genético, que levou cinco anos a concluir, pode dar pistas para a controlar, explica um artigo publicado na última edição da Nature Genetics.
 

 

A bactéria provoca a tularemia, uma doença conhecida por «febre dos coelhos», que pode ser mortal. Esta bactéria foi estudada sobretudo depois do 11 de Setembro, por se encontrar na lista de agentes bioquímicos que podem ser utilizados num atentado.
 

 

O seu método de propagação mais provável é uma forma de aerossol, com o qual se podem causar muitos casos de infecção até várias semanas depois da exposição.
 

 

Um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que a dispersão dessa bactéria numa área urbana de 5 milhões de habitantes poderá matar 19 mil pessoas e deixar incapacitadas ou com doenças crónicas mais de 250 mil.
 

 

Nos EUA, Europa e Ásia já ocorreram alguns casos de tularemia, causados por picada de um mosquito ou por inalação. O grupo que decifrou esta sequência de ADN já está a trabalhar numa vacina.
 

 

A tularemia apareceu como doença pela primeira vez em1911. Durante a II Guerra Mundial, alguns documentos sugerem que foi utilizada como arma biológica pelo Exército Vermelho soviético.
 

 

Fonte: Jornal de Notícias
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.