Descoberto tipo de células estaminais de vida longa na mama

Estudo publicado na “Nature Cell Biology”

16 fevereiro 2017
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu um tipo de célula estaminal de vida longa na mama que é responsável pelo crescimento das glândulas mamárias durante a gravidez. 
 
A descoberta foi feita no âmbito de um estudo desenvolvido por Nai Yang Fu, Anne Rios, Jane Visvader e Geoff Lindeman em 20 anos sobre como a mama se desenvolve a partir de células estaminais e como é que os cancros da mama surgem a partir de células estaminais e de tecido mamário em desenvolvimento. A equipa anteriormente tinha definido subcategorias de células estaminais com diferentes funções. 
 
“Quando observámos os genes que eram ativados nestas células estaminais conseguimos distinguir subcategorias de células estaminais que se diferenciavam na sua expressão de genes que codificavam duas proteínas denominadas Tetraspanin8 e Lgr5," afirmou Nai Yang Fu. “Ao observar os níveis de proteínasTetraspanin8 e Lgr5 na superfície das células, conseguimos dividi-las em três grupos distintos”, continuou. 
 
Com a ajuda de tecnologias avançadas, incluindo imagem 3D, a equipa atestou que os três grupos de células estaminais estão localizadas em diferentes partes da mama e têm funções diferentes. Aquelas células encontram-se e mantêm-se normalmente inativas. 
 
No entanto, se forem expostas às hormonas progesterona e estrogénio, estas células estaminais ficam ativadas e rapidamente se dividem para dar origem a novas células mamárias.
 
Os investigadores descobriram ainda que as células estaminais que possuíam níveis elevados de proteínasTetraspanin8 e Lgr5 apresentavam muitas semelhanças a um subtipo de cancro da mama triplo negativo denominado Claudin-low, o qual apresenta uma elevada possibilidade de recidiva após tratamento do mesmo.
 
Geoff Lindeman considera que estes achados podem conduzir a melhores resultados em pacientes com cancros do tipo Claudin-low: “esperamos que a nossa descoberta possa ser utilizada para perceber a forma pela qual os cancros se desenvolvem a partir de células estaminais de vida longa e potencialmente conduzir a melhores resultados para os pacientes com cancro da mama no futuro”. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Image CAPTCHA
Enter the characters shown in the image.