Descoberto potencial alvo contra o sarcoma dos tecidos moles

Estudo publicado na revista “Cell Metabolism”

29 novembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores do Centro para o Cancro Abramson da Universidade da Pensilvânia descobriram que ativar uma enzima nas células do sarcoma abrandou e até parou o crescimento destas.
 
O sarcoma dos tecidos moles é um conjunto de cancros raros que afetam vários tecidos em várias partes do corpo, incluindo músculos, tendões ou nervos. Dado que aparece em diversas zonas, a sua biologia é muito variada e é difícil obter uma terapia direcionada eficiente em todos os doentes.
 
Com base num estudo anterior dos mesmos investigadores sobre a enzima frutose-1,6-biofosfase1 (FBP1) e a sua função nos cancros renais e do fígado, foi analisada a função da FBP2.
 
A FBP2 é altamente expressada nas células normais, mas o sarcoma dos tecidos moles suprime-a drasticamente.
 
A autora sénior, Celeste Simon, e equipa, usaram ratos para descobrir que, ao “obrigar” as células do sarcoma a voltar a expressar a FBP2 como as células saudáveis, as células do sarcoma param de crescer, tornando-as vulneráveis às terapias direcionadas e imunoterapias.
 
A equipa descobriu ainda que as enzimas envolvidas no processo se situam no núcleo das células, o que significa que este caminho pode fazer com que as células parem de se adaptar ao ambiente natural e, consequentemente, de resistir aos fármacos citotóxicos.
 
A pouca frequência e diversidade das mutações genéticas no sarcoma dos tecidos moles tornam-no difícil de tratar, pelo que a descoberta desta abordagem metabólica como possível tratamento é de extrema importância.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar