Descoberto novo aminoácido
26 maio 2002
  |  Partilhar:

Até meados dos anos 80, os livros de biologia diziam que havia 20 aminoácidos. Em 1986, foi identificado um novo aminoácido. A lista dos constituintes das proteínas manteve-se, até agora, nos 21. Mas cientistas norte-americanos relatam na última edição da revista Science a descoberta do 22º aminoácido. É um feito a meio caminho entre a descoberta de uma nova partícula atómica para os físicos e o encontrar-se um novo elemento químico para acrescentar à tabela periódica.
 

 

Chama-se pirrolisina e é codificado pelo material genético de um micro-organismo chamado "Methanosarcina barkeri". Não é uma bactéria, mas é parecido com uma bactéria sem um núcleo onde está resguardado o ADN: pertence a um domínio de classificação dos seres vivos identificado há relativamente pouco tempo, o dos arqueões.
 

 

Estes micro-organismos têm características algo exóticas, com uma preferência por ambientes extremos. O "Methanosarcina barkeri", por exemplo, prefere metano a oxigénio. Onovo aminoácido faz parte de uma enzima (proteína que aumenta a velocidade de uma reacção bioquímica) que é usada para processar o gás metano.
 

 

O novo aminoácido acabou por ser descoberto na sequência de um trabalho sobre bioquímica básica. Os cientistas procuravam compreender como é que determinados micro-organismos - os metanogenos - conseguem converter os compostos que contêm metil em metano. Conhecem há muito tempo os mecanismos bioquímicos que convertem o dióxido de carbono e o acetato em metano. Não compreendem, porém, como é que uma classe de compostos comuns - as metilaminas - são transformadas em metano.
 

 

Veja mais no: Público
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.