Descoberto composto que mata superbactérias resistentes a antibióticos

Estudo publicado na revista “ACS Nano”

30 maio 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores desenvolveu um novo composto que demonstrou matar, em testes, bactérias Gram-negativas resistentes a antibióticos, incluindo a Escherichia coli (E. coli).
 
Num estudo liderado por Jim Thomas do Departamento de Química da Universidade de Sheffiled, Reino Unido, o novo composto poderá abrir caminho para tratar essas superbactérias que são potencialmente fatais e cada vez mais resistentes aos tratamentos atuais.
 
As estirpes de bactérias Gram-negativas podem causar infeções como pneumonia, infeções do trato urinário e infeções na corrente sanguínea. As infeções por estas bactérias são muito difíceis de tratar pois a parede celular (das bactérias) impede que os fármacos cheguem ao micróbio.
 
A resistência antimicrobiana mata atualmente 25.000 pessoas por ano na EU e estima-se que este número chegue aos 10 milhões em 2050, a não ser que se encontre uma solução para esta ameaça. 
 
Mais, nos últimos 50 anos não surgiu nenhum tratamento novo para as bactérias Gram-negativas e não é ensaiado qualquer composto novo contra aquelas estirpes bacterianas desde 2010.
 
Por isso, Jim Thomas mostra-se muito otimista relativamente ao composto recém-descoberto: “como o composto é luminescente, brilha quando é exposto à luz. Isto significa que a captação e efeito sobre as bactérias podem ser acompanhados (…)”.
 
A equipa de Jim Thomas demonstrou que o composto parece ter diversos modos de ação, o que torna mais difícil às bactérias desenvolverem resistência. 
 
O próximo passo nesta investigação será testar o novo composto em outras bactérias multirresistentes.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar