Descoberta sobre a síndrome da reconstituição imune

Estudo publicado na revista “Blood”

15 novembro 2010
  |  Partilhar:

Novos dados sobre uma doença aguda ainda pouco conhecida, chamada “síndrome da reconstituição imune”, que se desenvolve em algumas pessoas infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) logo após iniciarem a terapia anti-retroviral, foram revelados por investigadores do National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIH), num recente estudo publicado na revista “Blood”.

 

Esta doença afecta indivíduos infectados pelo VIH cujo sistema imunitário está gravemente danificado por este vírus e com uma infecção tratada ou com uma co-infecção decorrente do VIH não diagnosticada. Quando os indivíduos iniciam a terapia anti-retroviral e as células imunitárias se começam a regenerar, o sistema imunitário reage de forma inesperada produzindo uma resposta exacerbada que evidencia ou piora os sintomas da co-infecção.

 

Para encontrar padrões imunitários que distinguem os indivíduos que desenvolvem esta doença dos que não desenvolvem, os investigadores analisaram amostras de sangue de pessoas infectadas pelo VIH, centralizando o seu estudo sobre um grupo específico de células do sistema imunitário, os linfócitos T CD4+. A maioria dos pacientes estudados apresentava uma infecção fúngica, viral ou bacteriana associada ao VIH, antes do início da terapia anti-retroviral.

 

A investigação demonstrou que os indivíduos que desenvolveram a doença tinham uma maior proporção de linfócitos T CD4+ activados antes de iniciarem a terapia anti-retroviral, em comparação com aqueles que não a desenvolveram. Estas células activadas produzem interferão gama, uma molécula determinante no combate à infecção, antes da terapia e durante os episódios da doença. Este facto sugere que os linfócitos T CD4+ estejam implicados no aumento da resposta imunitária durante a síndrome. Além disso, os marcadores de superfície expressos nos linfócitos T CD4+ mostraram ser altamente activados, como resultado da interacção com os microrganismos responsáveis pela co-infecção dos indivíduos infectados pelo VIH.

 

Desta forma, a síndrome da reconstituição imune tornou-se um desafio notável no tratamento do VIH, particularmente em contextos de recursos limitados. Os investigadores esperam que uma melhor compreensão de como e porque a síndrome ocorre conduzirá à prevenção e a novas terapias.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.