Descoberta de GPS do cérebro arrebata Prémio Nobel

John O’Keefe, May-Britt e Edvard Moser foram os cientistas laureados

09 outubro 2014
  |  Partilhar:

O Prémio Nobel da Fisiologia ou Medicina de 2014 foi atribuído a três cientistas que descobriram o GPS do cérebro.
 

John O’Keefe, da University College of London (UCL, Reino Unido) e o casal May-Britt e Edvard Moser, da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia de Trondheim, foram os premiados deste ano pela sua descoberta sobre a forma como o nosso cérebro mapeia o complexo ambiente que nos rodeia.
 

Este GPS, que consiste num sistema de células que determinam a nossa deslocação de um local para outro, e que guarda informação para referência futura, permite que não nos percamos no caminho para o trabalho e nos orientemos no supermercado onde fazemos as compras, por exemplo.
 

A descoberta do GPS do cérebro demonstra que as funções cognitivas de mais alto nível possuem uma base celular.
 

Tudo começou em 1971 quando John O’Keefe descobriu o primeiro componente do sistema de posicionamento. O cientista descobriu que certos neurónios no hipocampo de um rato eram ativados quando este se encontrava em determinado lugar numa sala e, quando o roedor se deslocava para outras partes do compartimento, outros neurónios eram ativados.
 

O cientista descobriu que estas “células de posicionamento” (place cells) formavam um mapa cerebral do compartimento. Muito mais tarde, em 2005, o casal de cientistas Edvard e May-Britt Moser, após voltarem para a Noruega no seguimento de um pós-doutoramento feito no laboratório de John O’Keefe, identificou as “células grelha” (grid cells) que estão situadas no córtex entorrinal. Estas células são uma espécie de sistema de coordenação que permite identificar o nosso posicionamento exato num espaço e podermos orientar-nos no mesmo.
 

No seguimento desta descoberta, o casal conseguiu demonstrar que as células de posicionamento e as “células grelha”, que se encontram ligadas através de circuitos no hipocampo e no córtex entorrinal, ajudam o cérebro a determinar o posicionamento no espaço e a navegação no mesmo.
 

Mais recentemente, foi demonstrado, através de ressonância magnética e de estudos em pacientes que tinham sido submetidos a cirurgia ao cérebro, que o cérebro humano também possui “células de posicionamento” e “células grelha”.
 

As descobertas dos três cientistas laureados representam um enorme passo no entendimento de outros processos cognitivos, como a memória, planeamento e raciocínio. Mais, a perceção do GPS cerebral poderá ajudar a melhor investigar os mecanismos subjacentes à perda de memória e de perceção espacial que afetam os doentes de Alzheimer.
 

O Prémio Nobel nasceu após Alfred Nobel, um multimilionário sueco que faleceu em 1895, ter deixado a maior parte da sua fortuna para patrocinar anualmente os Prémios Nobel, independentemente da nacionalidade dos vencedores.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.