Depressão: novos compostos mostram-se promissores

Estudo publicado na revista “Neuropsychopharmacology”

16 julho 2015
  |  Partilhar:
Investigadores americanos identificaram compostos promissores que podem tratar com sucesso a depressão em menos de 24 horas e têm poucos efeitos secundários, dá conta um estudo publicado na revista “Neuropsychopharmacology”.
 
“Temos evidências de que estes compostos podem aliviar os sintomas devastadores da depressão em menos de um dia, e poderão fazê-lo de uma forma que limita algumas das desvantagens dos atuais tratamentos”, revelou, em comunicado de imprensa, Scott Thompson.
 
Atualmente, a maioria dos indivíduos com depressão toma medicamentos para aumentar os níveis de serotonina no cérebro. Os medicamentos mais comuns, o Prozac e Lexapro, são inibidores seletivos da recaptação da serotonina. Infelizmente, estes medicamentos são eficazes em apenas um terço dos pacientes com depressão. Além disso, mesmo quando os inibidores seletivos da recaptação da serotonina funcionam, normalmente demoram entre três e oito semanas a aliviar os sintomas. Desta forma os pacientes sofrem, muitas vezes, ao longo de meses antes de encontrarem um medicamento capaz de aliviar os sintomas. 
 
Esta não é apenas uma doença emocionalmente dolorosa, no caso de pacientes com ideias suicidas pode ser mortal. Assim, são claramente necessários melhores tratamentos para a depressão.
 
No estudo agora levado a cabo, os investigadores da Escola de Medicina de Maryland, nos EUA, focaram-se noutro neurotransmissor, um composto inibitório conhecido por GABA. A atividade cerebral é determinada por um equilíbrio entre a comunicação excitatória e inibitória entre as células cerebrais. Os investigadores acreditam que na depressão, as mensagens excitatórias em algumas áreas do cérebro não são suficientemente fortes.
 
Como não há uma forma segura de aumentar diretamente a comunicação excitatória, os investigadores, liderados por Scott M Thompson, analisaram uma classe de compostos que reduz as mensagens inibitórias enviadas via GABA. Os investigadores acreditam que estes compostos irão restaurar a força excitatória. Os compostos, denominados por GABA-NAMs, minimizam os efeitos secundários uma vez que são precisos. Estes funcionam nas áreas do cérebro que são essenciais para o humor.
 
Os GABA-NAMs foram testados em ratinhos submetidos a stress crónico. Verificou-se que a administração destes compostos reverteu os sinais de depressão, anedonia, ou a incapacidade de sentir prazer. Os efeitos benéficos dos compostos apareceram em 24 horas, muito mais rápido do que as semanas necessárias para os inibidores seletivos da recaptação da serotonina fazerem efeito.
 
“Estamos ansiosos por verificar se estes compostos produzem efeitos semelhantes nos pacientes deprimidos. Se estes compostos forem capazes de fornecer um alívio significativo dos sintomas de depressão nos humanos, como o pensamento suicida, irá revolucionar a forma como os pacientes são tratados”, conclui Scott M Thompson.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.