Depressão e o preconceito: o que têm em comum?

Estudo publicado na “Perspectives on Psychological Science”

24 setembro 2012
  |  Partilhar:

A depressão pode ser muitas vezes causada pelo preconceito do próprio ou de os indivíduos que nos rodeiam, sugere um artigo publicado na revista “Perspectives on Psychological Science”.
 

Os investigadores da University of Wisconsin-Madison, nos EUA, sugerem que o tipo de estereótipos sobre os outros, que conduzem ao preconceito e tipo de esquemas que levam à depressão são, fundamentalmente, iguais. Entre muitas das características que têm em comum os estereótipos do preconceito e os esquemas de depressão são bem preparados, automáticos e difíceis de alterar.
 

Segundos os investigadores os estereótipos são ativados numa fonte que consequentemente expressam o preconceito contra um determinado alvo, o que faz com que este alvo fique depressivo.
 

A depressão causada pelo preconceito pode ocorrer em vários níveis. No caso clássico, o preconceito causa depressão ao nível da sociedade, o preconceito nazis causou a depressão dos judeus, mas essa cadeia causal também pode ocorrer a nível interpessoal, um agressor preconceituoso que causa depressão na vítima, ou mesmo a um nível intrapessoal, quando alguém é preconceituoso contra si próprio conduzindo à depressão.
 

O alvo desta teoria defendida pelos investigadores liderados por William Cox são os casos de depressão que são conduzidos por pensamentos negativos que as pessoas têm de si próprios ou que os outros têm delas. Esta tese não está direcionada para as depressões causadas por processos neuroquímicos, genéticos ou inflamatórios.
 

Assim, perceber que muitos dos indivíduos com depressão não estão apenas deprimidos mas têm um preconceito contra eles próprios que causa a depressão, pode ter implicações teóricas muito importantes no tratamento.
 

De acordo com os autores do estudo as intervenções desenvolvidas e utilizadas pelos especialistas na depressão, nomeadamente na terapia cognitivo-comportamental, pode ser especialmente útil para combater o preconceito. Por outro lado, algumas das intervenções utilizadas pelos especialistas em preconceito podem ser úteis para tratar a depressão.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.