Demasiadas horas de sono podem aumentar risco cardiovascular e mortalidade

Estudo publicado na revista “Journal of the American Heart Association”

10 agosto 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo detetou que dormir menos do que sete horas diárias, ou mais do que as oito recomendadas, poderá fazer aumentar o risco de mortalidade e de doenças cardiovasculares.
 
Os resultados do estudo, que foi conduzido por investigadores da Universidade de Keele, Reino Unido, foram obtidos a partir da análise de 74 estudos que envolviam 3.340.684 de participantes. 
 
A equipa investigou a relação entre a duração do sono e os índices de mortalidade e de eventos cardiovasculares como ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e doença coronária.
 
Os investigadores apuraram uma relação em forma de J entre a duração do sono e a mortalidade, assim como a duração do sono e a incidência de doenças cardiovasculares.
 
Os autores sugerem que dormir mais de sete a oito horas “poderá estar associado a um grau de malefícios moderado” em comparação com dormir menos.
 
A relação em forma de J detetada pelos investigadores demonstrou que o risco aumentava com uma maior duração do sono. Dormir nove horas, por exemplo, apresentava um risco de morte 14% mais elevado, enquanto um sono de 10 horas fazia aumentar o mesmo risco para 30%.
 
Relativamente ao risco cardiovascular, a equipa observou que o sono insuficiente estava associado a um aumento de 44% no risco de doença coronária.
 
Segundo Chun Shing Kwok, autor principal do estudo, este “exerce um importante impacto sobre a saúde pública na medida em que demonstra que o sono excessivo é um marcador de maior risco cardiovascular”.
 
Como conclusão, os autores consideram que a duração e qualidade do sono deveriam ser considerados nas diretrizes para a redução do risco cardiovascular.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar