Deixar o álcool com o apoio dos Alcoólicos Anónimos

Associação assinalou o Dia Nacional dos Alcoólicos Anónimos

20 março 2013
  |  Partilhar:

No dia 19 de março celebrou-se o Dia do Pai. Neste dia assinalou-se também o Dia Nacional dos Alcoólicos Anónimos uma data que tem o objetivo de dar a conhecer o trabalho prestado por esta associação à comunidade e explicar que podem ser uma solução para o alcoolismo.

 

Maria, um nome fictício, é um bom exemplo dos sucessos conseguidos por intermédio dos Alcoólicos Anónimos. Maria chegou há 15 anos, sem esperança, aos Alcoólicos Anónimos (AA) com um vício de anos que a empurrara para o "fundo do poço”. Nesta comunidade que não requer taxas de admissão nem quotas, homens e mulheres partilham a "sua experiência, força e esperança" para resolverem o seu problema de alcoolismo e o dos outros.

 

O início do consumo de bebidas alcoólicas deu-se aos 27 anos, no decorrer de uma viagem de trabalho. "Tive de sair do país e isso veio alterar a minha forma de sentir. Ia com muito medo, com muitas inseguranças e o álcool deu-me um alívio enorme". Maria pensou que o consumo pararia quando regressasse a Portugal. No entanto, com o passar do tempo percebeu que "a doença já lá estava".

 

"Estava casada, tinha duas filhas e estava convencida que iria parar de beber, porque os meus valores eram contra esse tipo de comportamento, mas acabei por não conseguir", explica. Adotou então comportamentos de "fazer tudo aquilo que é muito comum os alcoólicos fazerem", como esconder a forma de beber ou beber antes de sair de casa.

 

"A compulsão começou a existir, mas eu não sabia que isto era uma doença". Os problemas foram piorando e Maria perdeu o emprego e divorciou-se. Foi nessa altura que decidiu pedir ajuda. Consultou vários médicos, conseguia deixar de beber mas apenas temporariamente.

 

Foi então que a aconselharam a procurar os AA. "Fui sem qualquer esperança, mas fiquei muito surpreendida, porque senti que estava num lugar muito seguro, com pessoas muito carinhosas que não me julgaram, não me apontaram o dedo, numa atitude de aceitação e num amor incondicional".

 

Naquela comunidade encontrou o conforto e carinho que a fizeram conseguir viver a vida longe do álcool. 15 anos depois Maria assume-se como uma “alcoólica em recuperação” e vive um dia de cada vez.

 

Os Alcoólicos Anónimos contam com mais de dois milhões de membros em recuperação em mais de 150 países. O único requisito para se ser membro dos AA é o desejo de parar de beber: "O nosso propósito primordial é mantermo-nos sóbrios e ajudar outros alcoólicos a alcançar a sobriedade", salientam.

 

A grande maioria dos frequentadores (74%) são homens, mas existe um número crescente de mulheres que pede ajuda à comunidade (26%). Cerca de 5% são jovens com menos de 21 anos.

 

Os AA podem ser contactados através do telefone 217162969 ou através dos centros espalhados por todo o país.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 1 Comentar

alcool

Bom dia , queria pedir ajuda, tenho o meu pai que é alcoolico, ja esta a estragar o ambiente em casa tenho crianças e mae a meu cargo , estou a ficar esgotada, ele ja tem atitudes que passam do estremo. Sera que alguem me pode ajudar como ele fazer tratamento ou institucionalisalo. Obrigada

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.