Deixar de fumar antes dos 30 anos devolve 10 anos de vida

Estudo publicado na revista “The Lancet”

31 outubro 2012
  |  Partilhar:

As mulheres que deixam de fumar por volta dos 30 anos eliminam quase por completo o risco aumentado de morreram precocemente, refere um estudo publicado na revista “The Lancet”.
 

Para o estudo, os investigadores da University of Oxford, no Reino Unido, contaram com a participação de 1.3 milhões de mulheres que tinham idades compreendidas entre os 50 e 65 anos de idade. Todas as participantes foram convidadas a preencher, no início do estudo, um questionário sobre o tabagismo, estilo de vida, estado de saúde e fatores sociais, os quais foram novamente avaliados três anos mais tarde.
 

Os investigadores verificaram que 20% das participantes eram fumadoras, 28% ex-fumadoras e 52% nunca tinham fumado. Doze anos, em média, após o início do estudo, os investigadores utilizaram dados do National Health Service, no Reino Unido, para avaliar quais as participantes que tinham morrido, assim como a causa da sua morte.
 

Com base na análise dos resultados, os autores do estudo constataram que as mulheres fumadoras morriam, em média, cerca de 10 anos antes das não fumadoras. Contudo, caso estas tivessem deixado de fumar por volta dos 30 ou aos 40 anos, conseguiam reduzir, respetivamente, para 97 e 90% o risco de perderem estes 10 anos de vida.
 

O estudo apurou que, a causa de morte de dois terços das fumadoras foi por doenças associadas ao tabagismo, nomeadamente cancro do pulmão, doença pulmonar crónica, doença cardíaca e acidente vascular cerebral. Foi verificado que, em comparação com as mulheres não fumadoras, as que continuaram a fumar três anos após o início do estudo tinham um risco cerca de três vezes maior de morrer durante os nove anos seguintes.
 

O estudo também apurou que o risco de morte estava diretamente associado com a quantidade de cigarros fumados. Em comparação com as não fumadoras, as mulheres que fumavam apenas entre um a nove cigarros apresentavam o dobro do risco de morrer nos nove anos seguintes.
 

Os autores do estudo revelaram que as conclusões mais importantes deste estudo são que os riscos do tabagismo são maiores do que os previamente sugeridos e, por outro lado, os benefícios de deixar de fumar têm um efeito maior do que era pensado.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.