Degeneração macular pode ser tratada com fármaco para o VIH

Estudo publicado na revista “Science”

25 novembro 2014
  |  Partilhar:

Um fármaco utilizado há mais de 30 anos no tratamento do VIH pode tratar a degeneração macular associada à idade, uma das principais causas de cegueira nos idosos em todo o mundo, dá conta um estudo publicado na revista “Science”.
 

A degeneração macular associada à idade é uma doença progressiva que não é tratável em mais de 90% dos pacientes. À medida que a doença progride a visão central torna-se cada vez mais turva e os pacientes sentem dificuldades em ler, conduzir e até reconhecer a face das pessoas.
 

Existem duas formas de degeneração macular associada à idade: a seca e a húmida. A primeira, que é a mais comum e menos grave, tem uma progressão lenta e é responsável por 90% dos casos. Atualmente, ainda não existe nenhum tratamento aprovado para a forma seca da doença.
Por outro lado, a forma húmida da doença é mais grave e sem tratamento e pode progredir muito rapidamente.
 

Neste estudo, os investigadores da Universidade de Kentucky, nos EUA, centraram-se numa classe de fármacos, os análogos dos nucleosídeos inibidores da transcriptase reversa (NRTI, sigla em inglês), que são utilizados no tratamento do VIH. Estes fármacos têm por alvo uma enzima que desempenha um papel importante na replicação do vírus, a transcriptase reversa.
 

Os investigadores já tinham descoberto que uma molécula tóxica, a Alu RNA, se acumulava na retina e conduzia ao aparecimento da degeneração macular associada à idade.
 

Neste novo estudo, realizado num modelo animal para a forma seca da degeneração macular associada à idade, verificou-se que vários NRTI impediram o desenvolvimento desta doença. Contudo, para surpresa dos investigadores, isto não foi conseguido através da inibição da transcriptase reversa, mas sim através do bloqueio de um complexo de proteínas que desempenham um papel importante na imunidade inata.
 

Os investigadores constataram ainda que os NRTI eram também eficazes noutros modelos de doença, incluindo a forma húmida da degeneração macular associada à idade e a doença do enxerto contra hospedeiro.
 

“Alguns dos fármacos que testámos são extremamente seguros. Uma vez que estes NRTI estão aprovados pela Food and Drug Administration [agência reguladora de medicamentos dos EUA], estes podem traduzir-se rapidamente e de forma pouco dispendiosa em terapias para várias condições incuráveis ou pouco tratáveis", conclui, um dos autores do estudo, Jayakrishna Ambati.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.