Deficits de zinco e cobre podem provocar aborto espontâneo

Estudo publicado na revista "Progresos de Obstetricia y Ginecología"

24 fevereiro 2011
  |  Partilhar:

Cientistas da Universidade de Granada, em Espanha, confirmaram que um baixo nível plasmático de cobre e zinco, em mulheres grávidas, pode ser um factor associado ao aborto espontâneo, hipótese que nunca tinha sido demonstrada em humanos.

 

A descoberta supõe um enorme avanço científico, já que as faltas podem ser corrigidas com simples medidas dietético-farmacológicas.

 

No estudo, conduzido por Jesús Joaquín Hijona Elósegui - investigador do Departamento de Farmacologia da Universidade de Granada -, participaram 265 mulheres grávidas. Destas, 132 sofreram abortos espontâneos no ano anterior e as restantes 133 tiveram uma gravidez evolutiva normal.

 

Os cientistas espanhóis concluíram que a maioria das gravidezes (64%) que acabaram em aborto foram planeadas, ainda que apenas 12% das pacientes tivessem tomado os suplementos recomendados de iodo e folatos, antes de tentar a gravidez. Além disso, um terço das mulheres que abortou era fumadora e 16,6% bebiam café em doses que ultrapassam o limite abortivo e teratogénico.

 

Os resultados deste trabalho foram publicados na revista "Progresos de Obstetricia y Ginecología" - revista oficial da Sociedade Espanhola de Ginecologia e Obstetrícia e noutras publicações da área.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.