Deficientes motores passam a pagar estacionamento

Governo corta benefícios

01 outubro 2003
  |  Partilhar:

O dístico utilizado pelos deficientes motores para identificarem os seus automóveis e beneficiarem de facilidades no estacionamento nos parques passou a ser pago, desde há uma semana, revelou o presidente da Associação Portuguesa de Deficientes (APD).
 

 

Até há uma semana a Direcção Geral de Viação emitia este dístico gratuitamente, passando agora a cobrar 11 euros, em pleno Ano Europeu das Pessoas com Deficiência, esclareceu à agência Lusa o presidente da APD, Humberto Santos.
 

 

«A questão não é o valor, é o princípio», disse o responsável, lembrando que muitos deficientes são subsídio-dependentes e com grandes carências económicas para comprar medicamentos, fazer reabilitação física e adquirir as próprias cadeiras eléctricas. A Lusa não conseguiu contactar a Direcção-Geral de Viação para obter esclarecimentos.
 

 

Para Humberto Santos, os deficientes estão a sofrer com os cortes causados pelo «frenesim» criado à volta do défice português. A questão do dístico é a mais recente crítica recebida pela APD, onde as queixas «mais dramáticas e comuns» se prendem com a educação.
 

 

Fonte: Público
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.