Deficiência na vitamina B12 materna pode aumentar risco de diabetes tipo 2

Estudo da Universidade de Warwick

10 novembro 2016
  |  Partilhar:

A deficiência na vitamina B12 durante a gravidez pode predispor as crianças para problemas metabólicos, como a diabetes tipo 2, revela um estudo apresentado na Conferência Anual da Sociedade de Endocrinologia.
 

Este estudo, levado a cabo pelos investigadores da Universidade de Warwick, no Reino Unido, poderá conduzir a uma revisão das necessidades de vitamina B12 para as mulheres grávidas, através do aumento do seu consumo por meio da dieta ou de suplementos.
 

A vitamina B12 pode ser naturalmente encontrada nos produtos de origem animal, incluindo peixe, carne, aves, ovos e leite. O que significa que a deficiência é mais provável de atingir aqueles que adotam uma dieta vegan.
 

Estudos anteriores demonstraram que as mães com níveis baixos de B12 apresentavam um índice de massa corporal (IMC) mais elevado e eram mais propensas a dar à luz bebés com baixo peso à nascença e com elevados níveis de colesterol. Estas crianças também apresentavam uma maior resistência à insulina na infância, um fator de risco para a diabetes tipo 2.
 

Neste estudo, os investigadores, liderados por Ponusammy Saravanan, colocaram a hipótese de as alterações associadas à deficiência na vitamina B12 poderem ser resultantes de níveis anormais de leptina, a hormona que informa quando um indivíduo está saciado.
 

A leptina é produzida pelas células adiposas do organismo e os seus níveis aumentam em resposta à ingestão de alimentos. Apesar de as dietas magras estarem associadas a níveis normais de leptina, a obesidade aumenta os níveis desta hormona, os quais permanecem consistentemente mais elevados do que o habitual. Isto pode conduzir à resistência à leptina, à ingestão excessiva de alimentos e a um aumento do risco de resistência à insulina, que leva à diabetes tipo 2. Desta forma, a leptina pode funcionar como "marcador" eficaz da gordura corporal.
 

O estudo apurou que os bebés cujas mães tinham deficiência na vitamina B12 apresentavam níveis mais elevados de leptina. Estes achados sugerem que a deficiência materna na vitamina B12 pode programar prejudicialmente o gene da leptina, alterando os níveis a que a hormona é produzida à medida que o feto cresce.
 

Ponusammy Saravanan explicou que o ambiente nutricional fornecido pela mãe pode programar permanentemente a saúde do bebé. Sabe-se que as crianças nascidas de mães sub ou sobrenutridas têm um risco aumentado de problemas de saúde, como a diabetes tipo 2. Neste estudo, verificou-se também que a deficiência materna na vitamina B12 pode afetar o metabolismo da gordura e contribuir para este risco.

 

Em estudos futuros os investigadores irão determinar como e por que motivo os bebés nascidos de mães com deficiência em vitamina B12 apresentam um aumento dos níveis da leptina.
 

Adaikala Antonysunil, uma das autoras do estudo, refere que isto pode ser devido ao facto de os níveis baixos de vitamina B12 conduzirem à acumulação de gordura no feto e, consequentemente, ao aumento da leptina, ou os níveis baixos da vitamina provocarem alterações químicas nos genes da placenta que produzem a leptina, produzindo mais hormona.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar