Cuidados continuados: Norte com cobertura assegurada de 36% das necessidades

1º Congresso das Unidades de Cuidados Continuados de Trás-os-Montes

29 março 2011
  |  Partilhar:

A região Norte beneficia actualmente de 1.643 respostas de internamento destinadas à prestação de cuidados continuados de média e longa duração, número que representa 36% da meta a atingir em 2013.

 

Com a conclusão da rede de cuidados continuados, está previsto que se atingiam os 4.587 lugares necessários na região e destinados aos utentes que necessitem deste tipo de cuidados de saúde. Os números foram divulgados em Freixo de Espada à Cinta, no decurso do 1º Congresso das Unidades de Cuidados Continuados de Trás-os-Montes que juntou este fim-de-semana especialistas nacionais e espanhóis. Durante o encontro, os dirigentes das unidades de cuidados continuados mostraram agora o interesse em apostam na “consolidação” das equipas de profissionais de forma “a haver uma melhor resposta” nos serviços prestados as populações.

 

Durante o congresso, o secretário de Estado adjunto da Saúde, Manuel Pizarro, mostrou, no entanto, a opinião que ainda é preciso fazer melhorias neste tipo de unidades. Ainda durante o congresso, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Freixo de Espada à Cinta, José Santos, deixou a ideia para a criação de um “livro branco” destinado as unidades de cuidados continuados, já este tipo de actuação na área da saúde é recente. Apelo que Manuel Pizarro considerou como oportuno, já que se trata de uma ideia “favorável” para que se possam aproveitar todos os conhecimentos adquiridos dentro deste tipo de acção.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar

As Unidades :diversificação /cooperação protocolada

As U.C.Continuados são uma obra que , por si só, marcou a diferença dos últimos anos no apoio aos idosos e dependentes/convalescentes.O esforço da rede pública foi notável e os protocolos estabelecidos com entidades privadas uma medida pragmática de grande oportunidade uma vez que se aproveitou , e deve continuar a aproveitar, todas as instalações já existentes para efeitos semelhantes ou susceptíveis de adaptação para tal função.
Assim , qualquer que o governo seja, qualquer que a sua orientação política for deve- se tem preocupações de carácter social e de respostas rápidas libertando os hospitais e dando cuidados adequados- devem estabelecer protocolos com todas as Instituições privadas ou de Associações já existentes antes de avançarem com novas construções públicas, por dois motivos: Resposta no imediato às listas de espera, poupança na construção e manutenção das novas unidades.E insistir com a sociedade civil para apresentarem projectos nesta àrea(e outras de carácter social/assistencial) para todas as faixas etárias.
Ganhámos todos em prestação atempada e resposta rápida às altas hospitalares e ganha -se ao motivar o empreendedorismo social com a componente de alargar a componente do emprego.Cidália Lage, Porto
Este é um caso de sucesso do anterior governo e é uma responsabilidade acrescida do actual.

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.