Cuidado com o excesso de peso durante a gravidez

Obesidade pós-gravidez aumenta risco de cancro da mama

09 abril 2002
  |  Partilhar:

Se está grávida tenha atenção aos quilos. Um estudo norte-americano indicou que as mulheres que aumentaram o peso em mais de 17 quilos durante a gravidez têm um risco maior em desenvolver cancro da mama comparadas com as mães que não engordaram muito durante essa fase.
 

 

Para as mães que pesam 22 quilos a mais depois do nascimento do bebé enfrentam uma possibilidade três vezes maior de serem diagnosticadas com a doença.
 

 

Cada quilo ganho pelas mulheres durante a gravidez representa um risco adicional de quatro por cento em desenvolver cancro da mama dentro de alguns anos, segundo os cientistas do Centro de Cancro Lombardi nos Estados Unidos e na Finlândia.
 

 

Estudos anteriores já relacionaram o aumento de peso durante a gravidez com os níveis de estrogénio produzidos pelo organismo da mulher. É esta hormona, por sua vez, que é relacionada ao desenvolvimento do cancro da mama.
 

 

Um estudo efectuado na Grã-Bretanha vem acrescentar mais dados a esta ligação perigosa entre aumento de peso e cancro da mama.
 

 

Segundo o trabalho foram encontradas evidências da relação entre obesidade adquirida na gravidez e cancro da mama. "Um ganho significativo de peso durante a gravidez pode causar mudanças nas células do seio que aumentam a susceptibilidade de desenvolver cancro da mama mais tarde", afirmou Leena Hilakivi-Clarke, uma das autoras do estudo.
 

 

Embora a explicação para a ligação entre aumento de peso na gravidez e cancro da mama não sejam muito concretas, alguns estudos indicam que provavelmente a gordura produz estrogénio, que pode estimular o crescimento de tumores.
 

Durante a gravidez os níveis de estrogénio ficam elevados e podem ser especialmente altos em mulheres que engordam demais.
 

 

Isso pode, segundo a investigadora, desencadear o desenvolvimento de tumores nas mamas, que crescem lentamente e só serão diagnosticados décadas mais tarde.
 

Segundo Hilakivi-Clarke, o maior risco parece manifestar-se sobretudo após a menopausa. Em termos numéricos, as mulheres que engordaram em excesso tiveram um aumento de 40 por cento no risco de cancro da mama durante a fase pós-menopausa. No entanto, o risco de desenvolver a doença antes da menopausa não aumentou.
 

 

Para que a saúde da mulher não seja alterada, os médicos consideram normal um aumento de peso entre os 11 e 16 quilos durante a gravidez, dependendo da estrutura física da pessoa. Não aconselham, contudo, a uma dieta severa, antes a ter uma alimentação equilibrada, completa e saudável, de modo a não privar o feto dos nutrientes necessários ao seu desenvolvimento.
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Links em português: Sociedade Portuguesa de Senologia
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.