Cromossoma Y é desnecessário?

Estudo publicado na “Science”

26 novembro 2013
  |  Partilhar:

O cromossoma Y é o símbolo da masculinidade, este está apenas presente nos homens e codifica genes importantes na reprodução masculina. Contudo, o estudo agora publicado na revista “Science” revela que são apenas necessários dois genes deste cromossoma para que a reprodução assistida em ratinhos tenha sucesso.  
 

“Isto significa que o cromossoma Y, ou maior parte dele, já não é necessário? De acordo com os avanços tecnológicos realizados na reprodução assistida, parece que sim”, referiu uma das autoras do estudo, Monika A. Ward.
 

Neste estudo os investigadores da Universidade do Hawai, nos EUA, decidiram identificar qual a contribuição mínima do cromossoma Y necessária para que fosse gerada uma primeira geração de ratinhos capazes de reproduzir uma segunda geração sem o auxílio de qualquer intervenção tecnológica.
 

Para o estudo foram utilizados ratinhos transgénicos que tinham apenas dois genes do cromossoma Y, o Sry e o Eif2s3y. Os ratinhos eram considerados inférteis porque as células germinativas que se deveriam ter desenvolvido em espermatozoides não atingiram maturidade completa. Contudo, os investigadores colheram estes espermatídios imaturos e através de uma técnica específica, a ROSI, conseguiram fertilizar com sucesso os oócitos laboratorialmente. Quando o embrião em desenvolvimento foi transferido para uma fêmea, esta deu à luz um ratinho saudável
 

Os investigadores esperam que o sucesso obtido com a utilização da técnica ROSI consiga apoiar a utilização desta abordagem como uma alternativa eficaz para ultrapassar, no futuro, casos de infertilidade associada aos homens.
 

“Este é um grande passo no sentido de perceber melhor a biologia básica. Contudo, é importante não esquecer que os outros genes do cromossoma Y são importantes no caso da reprodução natural, tal como foi enfatizado pelos autores do estudo” revelou, em comunicado de imprensa, um investigador do Wellcome Trust Sanger Institute, Chris Tyler-Smith.
 

Por outro lado Allan Pacey, da Universidade de Sheffield, refere que este estudo ajuda não só a identificar os genes responsáveis pela produção de espermatozoides como também clarifica a função do cromossoma Y.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.