Crise não é motivo para uma má alimentação

Opinião de dietistas

19 março 2009
  |  Partilhar:

O facto de hoje em dia as famílias terem um poder de compra menor, devido à crise instalada, não significa que elas não possam ter uma boa alimentação.

 

Em declarações prestadas a agência Lusa, Graça Raimundo, presidente da Associação Portuguesa dos Diabetes sublinhou que ”não é preciso comer carne e peixe diariamente às refeições”.

 

Esta é também uma opinião partilhada pela dietista Maria Fernanda Fogaça, que considera que há um consumo muito elevado de proteínas, referindo que “ as nossas necessidades de proteínas são de um grama por cada quilo e por dia, sendo que só metade devem ser de origem animal” e que cada “100 gramas de carne ou peixe têm 20 gramas de proteínas.”

 

Desta forma, e considerando o seu elevado preço, as duas dietistas aconselham um menor consumo de carne e peixe.

 

Graça Raimundo, por seu lado, aconselha também a confecção de feijoadas, jardineiras ou caldeiradas, que são pratos que necessitam de uma menor quantidade de carne ou peixe.

 

Um outro aspecto apontado pelas dietistas é o facto de hoje em dia se tomar os pequenos-almoços fora de casa. Segundo Maria Fernanda Fogaça, “ criou-se muito o hábito de se tomar o pequeno-almoço fora de casa. Acaba por se comer folhados e bolos em vez de pão” e gasta-se mais dinheiro.

 

Estas pequenas alterações, que estão ao alcance de toda a gente, poderão ajudar a fazer uma melhor gestão dos recursos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.