Crise económica faz aumentar doenças do foro psiquiátrico

Declarações do presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental

07 dezembro 2010
  |  Partilhar:

A crise económica faz aumentar doenças do foro psiquiátrico, como a depressão e ansiedade, de acordo com o presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM).

 

Em declarações à agência Lusa, António Pacheco Palha diz estar preocupado” com a “evidente tendência” de se intensificarem as doenças psiquiátricas que, está provado, acontece sempre em períodos de crise.

 

“Muitas doenças mentais, como a depressão e, principalmente, a ansiedade, acabam por ter um aparecimento com maior frequência em camadas inferiores, com dificuldades económicas e de afirmação social”, explicou o professor catedrático de psiquiatria da Faculdade de Medicina do Porto.

 

O mesmo responsável conclui que “sempre que há crise, seja ela de que tipo for, o risco de ser ter uma doença psiquiátrica é maior”.

 

António Palha falava à agência Lusa a propósito do VI Congresso de Psiquiatria, dedicado ao tema “Mitos e Evidências que teve início ontem no Estoril e vai ter a duração de três.

 

“O tema deste ano pretende reunir e confrontar opiniões e perceber que, além dos mitos que existem em muitas doenças, nenhuma pode ser tratada sem ter por base evidências científicas”, explicou António Palha.

 

Em 2002, a OMS estimou que 154 milhões de pessoas em todo o mundo sofriam de depressão e 25 milhões de esquizofrenia; que 91 milhões eram afectadas por distúrbios relacionados com consumo de álcool e 15 milhões pelo abuso de substâncias.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.