Crioterapia eficaz nos efeitos secundários da quimioterapia

Estudo publicado na revista “Journal of the National Cancer Institute”

17 outubro 2017
  |  Partilhar:
Um novo estudo apurou que a crioterapia é eficaz na prevenção de efeitos secundários da quimioterapia, nomeadamente na prevenção dos sintomas de neuropatia.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Kyoto, Japão, o estudo demonstrou que os pacientes, que usavam luvas e meias geladas durante 90 minutos enquanto recebiam quimioterapia, conseguiam prevenir ou atenuar consideravelmente os sintomas de neuropatia.
 
Para o estudo, os investigadores recrutaram 40 pacientes com cancro da mama que se encontravam a fazer tratamento quimioterápico com paclitaxel, uma vez por semana (80 mg/m2 durante uma hora). 
 
As pacientes usaram luvas e meias geladas durante 90 minutos, a duração total de infusão com o fármaco quimioterápico. Os investigadores compararam os sintomas das partes tratadas com as partes não tratadas. 
 
O primeiro aspeto avaliado foi a incidência da neuropatia através de alterações na sensibilidade tátil em comparação com a sensibilidade antes do início do tratamento. Os sintomas subjetivos foram igualmente avaliados através de um questionário aos pacientes e a destreza manual dos mesmos.
 
Das 40 pacientes, quarto não atingiram a dose cumulativa devido a complicações várias, ficando apenas 36 para análise. Ninguém desistiu por intolerância ao frio. 
 
Como resultado, a incidência dos sintomas objetivos e subjetivos de neuropatia foi clinica e estatisticamente inferior no grupo que recebeu a intervenção em relação ao grupo de controlo.
 
Este resultado sugere que a crioterapia poderá constituir uma estratégia eficaz na prevenção da neuropatia em pacientes com cancro que se encontram em tratamento com paclitaxel.
 
A crioterapia pode também ajudar a proporcionar um melhor tratamento quimioterápico pois poderá prevenir um atraso ou redução da dose do fármaco, assim como evitar a perda de qualidade de vida nos pacientes com cancro durante e após o tratamento. 
 
A neuropatia induzida pela quimioterapia é um efeito secundário incapacitante que ocorre com frequência nos pacientes em tratamento. Revela-se através de dores, dormência e formigueiro, podendo causar uma redução na qualidade de vida, bem como atrasos ou mesmo descontinuação do tratamento.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar