Crescente uso de antibióticos em produção pecuária: uma ameaça

Estudo publicado na “Proceedings of the National Academy of Sciences”

31 março 2015
  |  Partilhar:

Um estudo revelou que a utilização crescente de antibióticos na produção pecuária está a por em perigo a eficácia dos antibióticos nos seres humanos.


Conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade de Princeton, Centro para a Dinâmica, Economia e Política das Doenças, EUA, pelo Instituto Internacional de Estudos Pecuários, Quénia, e pela Universidade Livre de Bruxelas, Bélgica, o estudo prevê um aumento no consumo de antibióticos na produção pecuária de 67% entre 2010 e 2030.


Este incremento deve-se ao aumento esperado de 99% no consumo de antibióticos pela produção pecuária por cinco países: África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia. No entanto, nestes países espera-se que o crescimento do consumo de antibióticos pela população humana seja de 13% naquele intervalo de tempo.


A necessidade de consumo de proteína animal tem vindo a aumentar substancialmente globalmente, sendo que os fármacos antimicrobianos são utilizados regularmente na produção animal moderna como meio de promoção do crescimento e para evitar doenças.


Os investigadores adiantam que este enorme crescimento no consumo de antibióticos pelos animais destinados à alimentação levanta muitas preocupações relativamente à continuidade da eficácia antimicrobiana dos fármacos nas próximas décadas.


Rabanam Laxminarayan, investigador sénior do Instituto Ambiental de Princeton, recorda que “a descoberta e desenvolvimento dos antibióticos constituiu uma revolução fundamental na saúde pública do século XX”. No entanto, “a sua eficácia e as vidas de milhões de pessoas no mundo encontram-se agora ameaçadas devido ao crescente problema global da resistência aos antibióticos que está a ser provocada pelo consumo dos antibióticos”.


Até agora não existiam dados quantitativos sobre o consumo de antimicrobianos pela produção pecuária. O presente estudo baseia-se em dados limitados oriundos das vendas de antibióticos para uso veterinário em 32 países desenvolvidos. A disponibilização deste tipo de informação é crucial para avaliar as potenciais consequências da generalização do uso de antibióticos em animais.


Dois terços do aumento projetado do consumo de antimicrobianos na pecuária dever-se-ão ao aumento da produção de animais para fins alimentares. O outro terço será devido a uma alteração nas práticas na pecuária, sendo que se prevê uma maior proporção de animais a serem criados em “sistemas de pecuária intensiva”.

 

Muitos estudos têm sugerido uma associação entre o uso dos antimicrobianos e as bactérias resistentes aos antibióticos na produção pecuária, assim como potenciais consequências para a saúde humana.


“A resistência aos antibióticos é perigosa e uma ameaça cada vez maios para a saúde pública que não está a mostrar qualquer sinal de desaceleração”, remata Rabanam Laxminarayan.


ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.