Creches do Porto com nota negativa

Investigadoras da Universidade do Porto analisaram 160 estabelecimentos públicos e privados

03 março 2010
  |  Partilhar:

Em 160 salas de creches do Porto, nenhuma é boa ou excelente e 61% destas revelam "falhas ao nível das condições básicas de saúde e de segurança", com materiais perigosos ao alcance das crianças, além de limitações na quantidade de materiais para promover o desenvolvimento das crianças, de acordo com um estudo da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.

 

Existem, em certas instituições, "alfinetes ou pionés colocados em locais acessíveis às crianças, arestas agressivas no interior ou no exterior, tomadas eléctricas sem protecção, radiadores ou aquecedores não protegidos, ou colchões da mesa de muda de fraldas sem segurança", descreveram, ao “Jornal de Notícias”, Sílvia Barros e Cecília Aguiar, autoras do trabalho publicado na revista "Early Childhood Research Quartely".

 

Ainda assim, as limitações mais importantes relacionam-se com os cuidados de saúde e procedimentos de higiene a ter com crianças entre os um e os três anos de idade. "Por exemplo, havia falhas importantes na lavagem das mãos antes das refeições e depois da muda de fraldas ou das idas à casa de banho, na limpeza do nariz das crianças, na lavagem dos brinquedos e outros materiais", sublinharam as investigadoras.

 

Os dados foram recolhidos entre Setembro de 2004 e Outubro de 2005, tendo sido seleccionadas 80 creches de instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e o mesmo número de estabelecimentos com fins lucrativos. A participação no estudo só foi aceite mediante a confidencialidade do nome das creches.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.