Crânio de Mozart submetido a provas de ADN

Cientistas procuram mais dados sobre a morte do compositor

27 outubro 2004
  |  Partilhar:

Um grupo de cientistas austríacos vai exumar corpos de familiares de Mozart para fazer análises de ADN e verificar assim a autenticidade do crânio conservado na Fundação Mozarteum de Salzburgo. Os resultados das investigações serão publicados em 2006, por ocasião do 250/o aniversário do nascimento de Wolfgang Amadeus Mozart, que está a ser preparado como uma grande homenagem da Áustria ao genial compositor. A equipa de cientistas abrirá o jazigo familiar dos Mozart em Salzburgo, onde jazem os restos mortais do pai, Leopold, e da mulher, Konstanze, para recolher amostras genéticas. As autoridades políticas e culturais já deram luz verde a esta investigação, confirmou o presidente da câmara de Salzburgo, Heinz Schaden. Dadas as conturbadas circunstâncias da morte e do enterro, na mais absoluta pobreza, do que é considerado um dos maiores génios da humanidade, têm persistido grandes dúvidas sobre a autenticidade do crânio conservado. O autor da «Flauta Mágica» morreu aos 35 anos, na madrugada de 05 de Dezembro de 1791, e o seu cadáver foi enterrado numa vala comum no pequeno cemitério de Sankt Marx, nos arredores de Viena. As dívidas e credores reduziram a sua herança a apenas 60 florins, quantia que não permitiu à família pagar um caixão, uma campa ou sequer um responso. Por outro lado, os biógrafos de Mozart referem que uma chuva torrencial durante o enterro fez com que os amigos não seguissem o cortejo fúnebre até ao cemitério. Não foi deixado nenhum sinal, muito menos uma cruz, para assinalar o local onde foi depositado o corpo do músico, e só o filho do coveiro guardou na memória o sítio, o que serviu para resgatar o crânio conservado no Mozarteum. Mais tarde foi colocada uma lápide no lugar onde se supõe que ele tenha sido enterrado, transladada mais tarde para o Cemitério Central de Viena, onde agora faz parte de um monumento em sua honra. Embora a morte de Mozart continue a ser um mistério, os biógrafos inclinam-se para a tese de que tenha resultado de uma série de complicações derivadas de uma insuficiência renal que contraiu devido à vida desregrada que levou.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.