Corticosteróides podem acelerar a recuperação da pneumonia

Estudo publicado na revista “The Lancet”

07 junho 2011
  |  Partilhar:

O cortiscosteróide dexametasona, em conjunto com a toma de antibiótico, ajuda a tratar a pneumonia adquirida na comunidade, revela um estudo de investigadores holandeses, o maior realizado até à data sobre o uso do fármaco no tratamento da doença.

 

Os resultados da investigação, publicada na revista “The Lancet”, refere que os pacientes com doença pulmonar inflamatória conhecida como pneumonia adquirida na comunidade parecem recuperar mais rapidamente quando tratados com corticosteróides, além do regime padrão de antibióticos.

 

Os autores, liderados por Sabine Meijvis, do St. Antonius Hospital em Nieuwegein, Holanda, verificaram que os pacientes tratados com uma combinação de corticosteróides e antibióticos também necessitaram de um menor tempo de internamento do que os pacientes tratados somente com antibióticos.

 

A equipa notou que, actualmente, a pneumonia adquirida na comunidade é geralmente tratada com antibióticos após o diagnóstico precoce. Para analisar se os corticosteróides podem reduzir o risco de complicações e morte, a equipa concentrou-se em mais de 300 pacientes holandeses com a doença. Metade dos pacientes recebeu um tratamento padrão de antibióticos, juntamente com 5 miligramas por dia do corticosteróide dexametasona. A outra metade recebeu antibióticos e um placebo.

 

Quatro dias depois, os investigadores verificaram que os pacientes que receberam o corticosteróide apresentaram menor inflamação pulmonar e recuperaram mais rapidamente do que aqueles que receberam somente antibiótico.

 

O grupo que recebeu o corticosteróide também necessitou de menos um dia de hospitalização do que o grupo que recebeu apenas antibiótico (6,5 dias versus 7,5 dias). Além disso, os cientistas descobriram que passado um mês, o grupo do corticosteróide teve um melhor "funcionamento social" em relação ao grupo que recebeu apenas antibiótico.

 

"Os eventos adversos graves foram raros", entre o grupo que recebeu o corticosteróide, apontou a equipa de cientistas, em comunicado de imprensa da revista, mas adverte que "os benefícios dos corticosteróides devem ser pesados contra as desvantagens potenciais desses medicamentos, como as superinfecção e os distúrbios gástricos."

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.