Controlo e vigilância de casos de Sarampo

DGG apela a médicos para comunicarem doença “de imediato”

05 agosto 2008
  |  Partilhar:

As autoridades de saúde portuguesas querem um maior controlo e vigilância dos casos de sarampo e estão a apelar a todos os médicos, públicos e privados, que façam confirmação laboratorial dos casos suspeitos.
 

 

Apesar de em Portugal os últimos casos registados de sarampo terem ocorrido há três anos, desde 2005 que 40% dos países na região europeia têm tido um aumento da incidência desta doença infecciosa e altamente transmissível.
 

 

Esta semana, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) colocou no seu site na Internet uma circular destinada a todos os médicos, onde apela para que seja feita "obrigatoriamente" a confirmação laboratorial dos casos prováveis de sarampo e que sejam comunicados "de imediato" às autoridades de saúde regionais. Para prevenir contágios, os clínicos devem ainda identificar os contactos próximos do doente durante o período de transmissibilidade, como creches, infantários, escolas ou locais de trabalho.
 

 

As pessoas não vacinadas que tenham estado em contacto com a infecção devem ser vacinadas, uma vez que a vacina contra o sarampo pode conferir protecção se for administrada até 72 horas após a exposição ao vírus.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.