Contratados da saúde a trabalhar de graça no S. João

Funcionários estão a dar um mês contra a promessa de novo contrato em Janeiro

20 dezembro 2002
  |  Partilhar:

Algumas administrações hospitalares estão a pedir aos funcionários contratados a termo que queiram continuar a ter emprego em Janeiro que se deixem estar a guardar o lugar até à celebração do próximo contrato, com a promessa de que esse novo documento será prorrogável até seis anos, como previsto no projecto de Código do Trabalho do Governo.
 

 

"Não temos nenhuma comunicação escrita. Mas, quando acabaram os contratos, no dia 17, fomos aos recursos humanos e deram-nos esse recado", contou ao JN um funcionário do Hospital de S. João, que preferiu manter o anonimato. O recado era "trabalhar um mês de borla e, depois, assinar outro contrato em Janeiro". E, em vez do actual documento, válido por três meses prorrogáveis por outros três, terão um contrato com possibilidade de "fazer prorrogações até seis anos".
 

 

O funcionário em causa já cumpriu horas desde que terminou a sua prestação de serviços. E admite que prefere apostar numa situação ilegal do que ir para a rua sem outra promessa. Daí que ninguém ouse adiantar o nome. Um anonimato que, pediram, aliás, ao Sindicato da Função Pública, ao qual chegaram já dezenas de reclamações.
 

 

Leia tudo no: Jornal de Notícias
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.