Contacto com cães e gatos é benéfico para as crianças

Estudo publicado na revista “Pediatrics”

12 julho 2012
  |  Partilhar:

As crianças que têm contato com cães e gatos, nos primeiros 12 meses de vida, são mais saudáveis e apresentam um menor risco de terem infeções respiratórias, sugere um estudo publicado na revista “Pediatrics”.

 

Para o estudo os investigadores da Kuopio University Hospital, na Finlândia, acompanharam 397 crianças desde a gravidez até aos 12 meses de idade, tendo monitorizado o contacto que estas tinham com cães e gatos.

 

Os investigadores constataram que apesar de as infeções e os sintomas respiratórios serem comuns durante o primeiro ano de vida, em comparação com as crianças que não tinham tido contacto desde cedo com cães, as que tinham apresentavam menos sintomas respiratórios, sofriam menos frequentemente de infeções respiratórias e necessitavam de períodos mais curtos de tratamento com antibióticos. Foi também verificado que a frequência das otites era consideravelmente menor nas crianças que tinham desde cedo um contato regular com estes animais.

 

O estudo constatou que a convivência com gatos também era benéfica para a saúde das crianças, mas em menor extensão que o efeito obtido através do contacto com cães.
 

Os investigadores compararam as crianças que tinham um cão, que permanecia temporariamente ou frequentemente dentro da habitação, com as que tinham apenas um gato ou que não tinham qualquer animal de estimação. Foi constatado que as crianças que tinham um cão apresentavam na generalidade um menor risco de infeções, assim como infeções do trato respiratório. Aquelas que não tinham animais de estimação apresentavam as maiores taxas de infeções.
 

O contacto semanal e precoce com os cães foi inversamente associado à suscetibilidade às doenças, quanto maior era o contacto menor era a morbilidade.
 

Os investigadores acreditam que o contacto precoce com animais tem impacto na maturação do sistema imunitário, o que resulta em infeções de curta duração e uma maior resistência a infeções respiratórias.
 

“Os nossos resultados sugerem que o contacto com os cães poderá ter um efeito protetor contra as infeções do trato respiratório, durante o primeiro ano de vida. Estes resultados apoiam a teoria de que durante o primeiro ano de vida, o contacto com animais é importante, conduzindo possivelmente a uma melhor resistência contra infeções respiratórias durante a infância”, concluem os autores do estudo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.