Consumo de sal deveria ser limitado

Estudo publicado na revista “Circulation”

08 novembro 2012
  |  Partilhar:

O consumo de sal não deve exceder as 1.500 mg diárias, mesmo para as pessoas saudáveis, dá conta um estudo publicado na revista científica “Circulation”.
 

Estas recomendações surgem após o investigadores da American Heart Association, nos EUA, terem feito uma revisão de vários estudos realizados em animais, estudos observacionais e ensaios clínicos, que confirmaram o que a mesma instituição já tinham aconselhado em 2011, ou seja, as pessoas deveriam ingerir no máximo 1.500mg de sal por dia. Esta limitação está associada a um menor risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, nomeadamente do acidente vascular cerebral.
 

De acordo com os investigadores, alguns estudos recentes trouxeram a público sentimentos e crenças ambíguas quanto à quantidade adequada de ingestão de sal. “As pessoas não devem ser influenciadas pelas recomendações de estudos que reportaram que a redução do consumo de sal não melhora a saúde cardiovascular. Após terem analisado estes estudos verificamos, que estes têm graves problemas de metodologia, o que desvaloriza os resultados obtidos bem como a necessidade de rever as políticas adotadas. O nosso foco deveria estar na forma de implementar as medidas eficazmente, e não alterar as recomendações feitas pela American Heart Association sobre o consumo de sal”, revelou em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Paul K. Whelton.
 

A diminuição do consumo de sal pode drasticamente ajudar impedir a pressão arterial elevada. Contudo, segundo este estudo a maioria das crianças e adultos consome uma quantidade de sal muito acima da recomendada, mais de 3.400 mg de sal por dia.
 

O estudo refere que atualmente é difícil consumir menos de 1.500 grama de sal por dia, pois este composto está escondido nos alimentos processados e confecionados, o que torna quase impossível controlar os níveis de sal ingeridos.
 

Assim, de acordo com a American Heart Association a rotulagem dos alimentos deveria ser melhorada para os consumidores estarem mais informados sobre o nível de sal. Por outro lado, esta instituição também defende que o teor de sal deveria estar limitado em todos os alimentos frescos, preparados e confecionados que são fornecidos às crianças.
 

Os investigadores acreditam que a prevenção das doenças cardiovasculares passa por manter um peso corporal e pressão arterial saudáveis, praticar exercício físico, consumir alimentos saudáveis e não fumar.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.