Consumo de peixe gordo promove longevidade

Estudo publicado na “Annals of Internal Medicine”

04 abril 2013
  |  Partilhar:

O consumo regular de peixe rico em ómega 3 parece estar ligado a uma maior longevidade, indica um novo estudo conduzido pela Harvard School of Public Health, em Boston, EUA.
 

Embora não demonstre que o consumo de peixe rico em ómega 3 aumente a esperança de vida, o investigador Dariush Mozaffarian, professor de epidemiologia daquela universidade, acredita que o estudo evidencia uma ligação entre esses dois fatores.
 

Baseado em dados recolhidos de 2.600 participantes de idade avançada, o estudo revelou que aqueles que possuíam níveis mais elevados de ácidos gordos ómega 3 no sangue tinham vivido uma média de mais dois anos de vida, comparativamente com os que tinham registado níveis inferiores do mesmo no sangue.
 

Este estudo concentrou-se na presença de níveis de ómega 3 no sangue como consequência da dieta seguida. O peixe possui proteínas e ácidos gordos que são benéficos para o coração. Os ácidos gordos ómega 3 podem ser encontrados em abundância em peixes gordos como o salmão, a sardinha, a cavala, o atum, etc.
 

Os participantes perfaziam uma média de idades de 74 anos no início do estudo. Foram efetuados questionários sobre o estilo de vida, análises ao sangue, bem como exames físicos aos mesmos. Nenhum dos participantes tomava suplementos de ómega 3 na altura.
 

Ao longo dos 16 anos de seguimento do estudo, 1.625 dos participantes morreram, tendo 570 das mortes sido devidas a problemas cardiovasculares. O estudo apurou que quanto maior era o nível de ómega 3 no sangue dos participantes, o risco de morte por qualquer causa entre os mesmos diminuía, sendo essa redução de 27%. Os participantes com maiores índices de ómega 3 no sangue demonstravam ainda um risco 35% menor de sucumbirem por doença cardiovascular.
 

Segundo Alice Lichenstein, diretora e cientista sénior na Cardiovascular Nutrition Laboratory da Tufts University, EUA, e que não participou neste estudo, os resultados não vêm demonstrar uma relação de causa e efeito entre o consumo de peixe gordo e uma maior longevidade.
 

Não foi possível determinar se o consumo de peixes gordos não seria um marcador de um estilo de vida mais saudável, em vez de estar diretamente responsável por um menor risco de mortalidade. Foi observado que as pessoas com os níveis mais elevados de ómega 3 consumiam mais fruta e legumes do que os outros participantes. Portanto, tudo indica que a toma de um simples suplemento de óleo de peixe não produzirá por si só o efeito de aumento da longevidade.
 

A American Heart Association, dos EUA, recomenda o consumo de peixe gordo duas vezes por semana.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.